Vigor da agropecuária goiana contribui para a geração de emprego

Secretário de Agricultura comentou na RBC o bom desempenho da atividade este ano, a despeito da pandemia, fator que contribui para o desenvolvimento econômico do Estado

Mesmo com a pandemia da Covid-19, a agropecuária goiana registra saldo positivo na geração e emprego em 2020. No acumulado do ano, de janeiro a outubro, Goiás contabiliza 22.550 novos empregos formais, dos quais 5.758 vagas na agropecuária, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia.

Em entrevista ao programa O Mundo em sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM, concedida nesta segunda-feira, 30, o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, comentou o bom desempenho da agropecuária este ano.

O titular da Seapa conversou com os apresentadores Gil Bomfim e Paulo Heinrque Santos sobre como este bom resultado da agropecuária tem contribuído para o desenvolvimento econômico dos municípios goianos. “Eu diria que o principal fator que podemos mencionar é a garantia do alimento na mesa de todos os lares goianos, brasileiros e até mesmo mundiais”, destacou.

Essencialidade

O secretário ponderou que, mesmo passando por uma pandemia, Goiás garantiu a essencialidade do fornecimento de alimentação.. A atividade agropecuária não paralisou, obedecendo a todos os protocolos de segurança estabelecidos. A produção está crescendo e o produtor rural, dentro da porteira, está fazendo o dever de casa. “E a sociedade está se beneficiando com todos esses ganhos, que a gente pode observar agora com a geração de empregos”, observou.

De acordo com o Antônio Carlos, se for considerada a indústria como beneficiadora de matéria-prima (vinda do campo), os números de empregos gerados é ainda maior. Números que, destacou, demonstram que a agropecuária se destaca e reforçam a importância das políticas públicas e da participação determinante do Estado no apoio a esse setor.

Reflexos

Ele lembrou que a atividade agropecuária está presente nos 246 municípios goianos, com reflexos no giro financeiro nas economias locais. E citou que 80% das exportações goianas são de itens agropecuários, como carne, açúcar e soja.

A expectativa para o próximo ano é que o produtor rural consiga incrementar a renda na sua propriedade, para que todos os consumidores tenham condições de adquirir um alimento de qualidade a um preço acessível, afirmou. Admitiu que, no momento, os preços dos alimentos estão em um patamar elevado. Mas disse acreditar que o setor deve se desenvolver ainda mais e o mercado poderá se equilibrar nos próximos meses.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.