Vigilância de Goiânia tem fechado bares e autuado pessoas

Chefe da Vigilância Sanitária diz que não há complacência com o erro e secretário de Saúde de Goiás reforça o pedido para que as pessoas se cuidem e ajudem a cuidar dos outros

A apresentadora Michelle Bouson e o diretor da Vigilância Sanitária e Ambiental de Goiânia, Dagoberto Costa, nos estúdios da TBC

Em entrevista hoje ao TBC 1, da TV Brasil Central, o diretor da Vigilância Sanitária e Ambiental de Goiânia, Dagoberto Costa, confirmou que o organismo tem autuado bares, fechando-os quando há irregularidade, e também punido pessoas quando desobedecem as regras estabelecidas nesse momento da pandemia da Covid-19. “A gente ainda continua tendo muito trabalho, principalmente no período noturno, fiscalizando bares e restaurantes e até algumas boates que se aventuram a voltar o funcionamento. A central de fiscalização da Vigilância continua atuando forte, com um conjunto de fiscais de vigilância, da Seplanh, da AAMA, além do apoio das forças de segurança”, observou.

Dagoberto corroborou com a fala do secretário de Saúde de Goiás, Ismael Alexandrino, em matéria anterior, na qual disse que essas pessoas que vão para a rua de forma desordenada e desobedecendo as regras exigidas na pandemia acabam infectando outras. “A gente reforça os cuidados mínimos necessários para as pessoas que vão sair de casa, utilizando a máscara, álcool em gel, mantendo a distância segura. É preciso ter sensatez, porque além de não ter acabado a pandemia, a vacina ainda não é uma realidade”, recomendou o secretário.

Dagoberto disse que desde a quinta-feira da semana passada a Vigilância teve de fazer, de novo, algumas interdições (quinta, sexta, sábado e no domingo). “A gente espera, mas não está acontecendo, é que muitas vezes a própria população não colabora no sentido de manter o distanciamento, propiciando esses eventos que acabam acontecendo. E aí a gente tem de fechar o comércio por conta da situação que está sendo negligenciada no momento”, explicou.

Segundo ele, muitas vezes os comerciantes reclamam que os clientes não cumprem o estabelecido e isso tem até causado confusões no comércio. “Temos relatos de verdadeiras confusões, por conta do comerciante querer manter a regra adequada e alguns da população não quererem aceitar. Pedimos que a população tenha consciência, porque a pandemia ainda não acabou”, reiterou.

Afirmou, no entanto, que a maioria dos estabelecimentos tem cumprido o que determina a Vigilância Sanitária, mas já houve caso de reinterdição do estabelecimento que fez o compromisso, mas não manteve o acordado. Disse também que para a demanda de Goiânia o pessoal que trabalha na Vigilância é suficiente e que no próximo final de semana prolongado não deverá ser mais problemático, porque os goianienses têm uma tendência de procurar o interior ou cidades turísticas.

Informou também que não há complacência com quem está descumprindo as normas de higiene e distanciamento, pois o bar é fechado na hora e já houve caso também de autuação de pessoa física, principalmente em distribuidora. “Em bares, geralmente as pessoas saem, pagam suas contas, algumas saem reclamando, outras saem fazendo chacota e dizendo que vão pro outro”, confirmou, acrescentando que o maior problema nos estabelecimentos é quando deixam entrar mais pessoas que o permitido. As reclamações ou denúncias devem ser feitas pelo aplicativo da Prefeitura, o Prefeitura24horas.

Confira a íntegra da entrevista:

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnologicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.