Veículos e remédios fazem produção industrial goiana ocupar 2º lugar do País em dezembro

No período, a atividade industrial do Estado cresceu 8,3% em comparação com o mês anterior: empresários esperam o recuo da inflação este ano

A produção industrial goiana registrou crescimento de 8,3% em dezembro de 2021 na comparação com novembro, de acordo com pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com esse resultado, o Estado ficou no segundo lugar no ranking nacional, perdendo apenas para Mato Grosso. O assunto foi abordado em reportagem exibida no programa O Mundo em sua Casa desta segunda-feira (21).

Ainda segundo o IBGE, neste período, apenas 5 dos 15 Estados pesquisados apresentaram resultados positivos: Mato Grosso, Goiás, Rio de Janeiro, Amazonas e Paraná. As atividades que mais contribuíram para o resultado da produção goiana foram: fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias, com 102%; vindo em seguida produtos farmoquímicos e farmacêuticos (33,8%), produtos químicos  (21,15%), indústria da transformação (8,9%) e alimentícios (7,4%).

“Esperamos que neste semestre haja um recuo da inflação ou pelo menos que ela esteja sob controle para que os projetos não sejam corroídos”, afirmou o empresário Jaime Canedo. O presidente do Sindicato das Indústrias Químicas no Estado de Goiás (Sindquímica-GO), Jair de Alcântara, disse acreditar que 2022 será bem melhor para a retomada das empresas, pois todos os segmentos estão voltando as iniciativas, o trabalho e o investimento. Para o secretário de Estado de Indústria e Comércio, Joel Sant’Anna, os bons resultados da economia goiana nos diversos setores é o resultado de um governo equilibrado, que conseguiu ajustar suas contas.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.