Taxa de desocupados em Goiás é menor que a média nacional

Dados da PNAD Contínua mostram Goiás com uma taxa de 10% de pessoas desocupadas, no trimestre de julho a setembro, enquanto que a taxa do Brasil ficou em 12,6%

Em matéria para o Jornal Brasil Central, a repórter Denyse Parreira repercutiu a diminuição da taxa de desemprego no país, que, no semestre que compreende os meses de julho, agosto e setembro, ficou em 12,6%, o que corresponde a 1,6% a menos que o trimestre imediatamente anterior. Em Goiás, esta taxa ficou em 10%, menor que a média nacional, anotando 375 mil pessoas desocupadas, 80 mil a menos que no trimestre anterior. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra Domiciliar Contínua (PNAD Contínua) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Chefe do IBGE em Goiás, Edson Vieira disse o avanço da vacinação contra a Covid-19 foi muito importante para que se atingisse esse número menor na desocupação. “À medida que nós fomos tendo avanço no processo de vacinação, redução no número de pessoas infectadas e também de internações, tivemos uma dinamização maior desse setor que teve, em relação ao trimestre anterior, um crescimento de cerca de 1/3”, afirmou.

No Brasil, o desemprego também caiu, no período analisado, ficando em 12,6% contra 14,2% no segundo trimestre do ano. “A nossa taxa apresentou redução em relação ao trimestre imediatamente anterior e também em relação ao mesmo trimestre de 2018. Muito embora ainda esteja em dois dígitos, é um resultado inclusive melhor do que o que tínhamos no mesmo trimestre de 2019. Portanto, antes da pandemia da Covid-19”, ressaltou Edson.

Ao ouvirem pessoas nas ruas, os repórteres Denyse Parreira e Rodrigo Oliveira constataram, nas entrevistas, que realmente o clima é de mais otimismo da população com relação à criação de novos empregos.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.