Superintendente da SES analisa momento da pandemia em Goiás no TBC 1

Fluvia Amorim disse que estabilidade chegou, mas em patamar alto, e que o comportamento da população vai determinar velocidade da queda

A superintendente de Vigilância em Saúde da SES, Flúvia Amorim, e a apresentadora Michelle Bouson, nos estúdios da TBC

Goiás entrou em setembro com os números da pandemia estáveis, mas ainda altos. O último boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES) mostra mais de 135 mil casos e 3.212 mortes confirmadas em decorrência da Covid-19. Para a superintendente de Vigilância em Saúde da SES, Flúvia Amorim, ainda não é possível falar em queda no número de casos.

Ela conversou nesta quarta-feira, 2, com a apresentadora Michelle Bouson no telejornal TBC 1 da TV Brasil Central e avalia que os números seguem altos em função do aumento das testagens e principalmente pelo relaxamento das medidas de isolamento social e de proteção da população em circulação.

“Existe uma série de fatores que interferem na [baixa] da curva de casos, mas com certeza qualquer tipo de aglomeração interfere, porque aumenta o número de pessoas transmitindo uma para as outras”, disse Flúvia citando o grande número de casos de festas flagradas na capital nos últimos dias. 

A opinião de Flúvia é compartilhada pelo colega superintendente de Atenção Integral à Saúde da SES, Sandro Rodrigues, que disse ao radiojornal O Mundo Em Sua Casa, também nesta quarta-feira pela manhã, que a estabilização em Goiás está na ordem de 1.500 casos diários e 40 a 45 mortes por dia.

Dados do Bem

Flúvia Amorim terminou explicando que a testagem realizada a partir do aplicativo Dados do Bem foi suspensa temporariamente em função de falhas no sistema de gestão das amostras para os testes, que é do Ministério da Saúde. Segundo ela, o problema já está sendo corrigido e a expectativa é de que o serviço volte a funcionar normalmente na próxima semana.

Confira os detalhes na entrevista completa:

ABC Digital