Superintendente da Secretaria de Saúde comenta aumento de casos de Covid-19 em Goiás no TBC 1

Por videoconferência, Fluvia Amorim disse que o crescimento dos casos está diretamente relacionado com a queda na taxa de isolamento social

A superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde, Fluvia Amorim, e a apresentadora Eva Taucci nos estúdios da TBC

Goiás ultrapassou a marca de 5.300 casos confirmados de Covid-19 nesta sexta-feira, 5, segundo boletim epidemiológico diário da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Destes, há 167 óbitos confirmados, 31 óbitos suspeitos em investigação e 267 mortes descartadas como causadas por coronavírus. Em todo o estado, há 28.234 casos suspeitos e outros 12.984 casos descartados. 

Já são dois dias seguidos em que se registram mais de 400 casos da doença em 24 horas em Goiás. Para falar sobre esses números, a apresentadora do telejornal TBC 1, Eva Taucci, conversou com Fluvia Amorim, superintendente de Vigilância em Saúde da SES. Por videoconferência, Fluvia participou da coluna Bate-papo do Dia e disse que a queda do isolamento social está diretamente ligada ao aumento no número de casos de Covid-19 em Goiás.

“Estamos entrando no pior de três cenários projetados por pesquisadores da UFG. Essa projeção mostra que se nós não conseguirmos, infelizmente, manter uma taxa mínima de 50% de isolamento social, nós teremos sim o colapso do sistema de saúde no fim de julho com milhares de óbitos”, alertou a superintendente da SES.

Fluvia Amorim falou ainda sobre subnotificação, testagem (que tem aumentado tanto por parte do Estado quanto de prefeituras) e das taxas de ocupação dos leitos hospitalares específicos para Covid, que dobrou nos últimos 30 dias, passando de 35% para 67%. 

“Por isso que a taxa de isolamento é tão importante. Nós já estamos numa escalada de casos e se nós não atingirmos o isolamento de 50%, em julho vamos ter que escolher quem vai entrar no respirador de UTI e quem não vai”, afirmou.

Confira a entrevista completa:

ABC Digital