Para voltar ao presencial, escolas terão que seguir protocolo rígido

Flúvia Amorim lembra que aulas online seguem obrigatórias e a escola que retomar as atividades em sala precisará atender ao rígido protocolo de segurança

Com a liberação das aulas presenciais pelo Comitê de Operações de Enfrentamento (COE) ao Coronavírus em Goiás, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) elaborou um protocolo com mais de 60 páginas exclusivo para disciplinar essa retomada com segurança nas escolas.

A medida é válida para todos os níveis educacionais, do infantil ao superior, mas esse retorno não será obrigatório e ficará a critério de cada escola. Independente do retorno, o COE também sugere que as aulas virtuais devem continuar a serem oferecidas obrigatoriamente. Na prática, a medida valerá por ora para a rede particular, já que a rede pública ainda depende de aval da Secretaria Estadual de Educação para retomar as aulas.

Para falar sobre o assunto, o radiojornal O Mundo Em Sua Casa entrevistou nesta sexta-feira (6) a superintendente de Vigilância em Saúde da SES, Flúvia Amorim. Ela conversou com os apresentadores Jerônimo Venâncio e Paulo Henrique Santos e disse que as escolas que resolverem retomar as aulas presenciais terão que seguir o rígido protocolo criado pela secretaria.

Confira o áudio da entrevista:

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnologicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.