Seduc continua com aulas virtuais e não tem data para a volta das aulas presenciais

Superintendente da Seduc, Osvany da Costa informou que os alunos não serão prejudicados e que as avaliações serão realizadas

A superintendente de Ensino Médio da Secretaria da Educação, Osvany da Costa Gundim Cardoso, e a apresentadora Michelle Bouson, nos estúdios da TBC

A Secretaria de Educação de Goiás (Seduc) dará sequência ao trabalho do regime de aulas não presenciais e ainda não se sabe quando as aulas presenciais retornarão, em função da pandemia da Covid-19 que ainda está muito intensa no Estado. A informação foi repassada pela superintendente de Ensino Médio da Secretaria da Educação, Osvany da Costa Gundim Cardoso, em entrevista nesta quinta-feira, 20, ao telejornal TBC 1 apresentado por Michelle Bouson.

Ela enumerou todas as ações desenvolvidas pela Seduc e escolas, para a realização das aulas: as aulas transmitidas através da TV Brasil Central e pelas rádios Brasil Central AM e RBC FM (Seduc em Ação); orientações encaminhadas quinzenalmente às unidades escolares, por meio da coordenações regionais; produção do material que é encaminhado às escolas, sempre priorizando os conhecimentos essenciais; a sequência ao projeto do Goiás Bem no Enem, com o objetivo de preparar nossos estudantes da 3ª série para o exame; o suporte ao trabalho dos professores e auxílio aos estudantes em suas rotinas de estudo.

Segundo ela, há um cronograma diário de atividades. “Sempre que percebemos a necessidade, fazemos alteração no nosso cronograma, com o objetivo de atender as necessidades das escolas e dos alunos. Continuamos também encaminhando atividades impressas para aqueles estudantes que não têm acesso à internet”, afirmou, acrescentando que a Seduc tem um portal, o NET Escola, e que todas essas atividades encaminhadas são também hospedadas nesse portal. Sobre se existe alguma plataforma, ela informou que algumas escolas já fazem a adoção de alguma plataforma e outras metodologia, mas a Seduc ainda não tem esse plano, “porque nós consideramos que cada unidade escolar, cada localidade tem suas especificidades e não é possível a própria Seduc direcionar aulas de uma forma geral para todos sem considerar suas particularidades”.

Disse que a base do processo de avaliação é a última resolução do Conselho Estadual de Educação e que a Seduc trabalha com a perspectiva da avaliação diagnóstica e formativa. Confirmou que os alunos não vão ser prejudicados dado à circunstância inédita da pandemia, “que ninguém no mundo conseguiu resolver até hoje”. Com relação aos conteúdos, informou que as superintendências de ensino Fundamental e Médio já trabalham com uma nova matriz, onde são priorizados os conhecimentos essenciais nesse período. “Quanto ao planejamento do ano de 2020, ainda está em discussão e não é possível adiantar muito”, sentenciou.

Você pode conferir todos os detalhes na íntegra da entrevista:

ABC Digital