Secult organiza pagamento de auxilio a trabalhadores da cultura

Titular da pasta da Cultura, Adriano Baldy explicou os critérios de quem pode receber a as três parcelas provenientes da Lei Aldir Blanc e como requisitá-la

A apresentadora Michelle Bouson e o titular da Secult, Adriano Baldy, nos estúdios da TBC

A Secretaria de Estado da Cultura (Secult) começou nesta semana a organizar os repasses da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, medida federal de apoio emergencial aos trabalhadores do setor cultural do país nos mesmos moldes do auxílio emergencial dado aos trabalhadores informais. Goiás receberá R$ 98,2 milhões nessa rubrica, dos quais R$ 49,1 milhões já estão na conta do governo estadual. 

Para falar como o recurso será distribuído em Goiás, o titular da Secult, Adriano Baldy, participou nesta quinta-feira, 8, do quadro Bate-papo do Dia no telejornal TBC 1 da TV Brasil Central. Em conversa com a apresentadora Michelle Bouson, Baldy explicou que as três parcelas de R$ 600 do socorro emergencial aos trabalhadores da cultura poderão ser pagas de uma vez. 

“É possível que seja pago de uma vez porque essas parcelas são retroativas aos meses de junho, julho e agosto”, comentou o secretário informando que para receber o benefício, os artistas e trabalhadores da cultura no estado precisam se cadastrar no Mapa da Cultura organizado pela Secult. O site recebe as inscrições e contém um mapa detalhado do contingente de trabalhadores que atuam nas diversas áreas da cultura em Goiás. 

Critérios

Na segunda parte da entrevista, o secretário da Cultura de Goiás, Adriano Baldy, falou dos critérios adotados na lei Aldir Blanc, que homenageia o compositor carioca morto neste ano. Segundo ele, pode se candidatar a receber o benefício qualquer trabalhador envolvido num evento artístico, como o técnico de palco, som, de luz, figurinista, bilheteiro entre outros, além dos próprios artistas que tiveram suas atividades interrompidas na crise gerada pela pandemia de coronavírus. 

De acordo com Adriano Baldy, a outra metade dos 98,2 milhões da verba federal será destinada aos municípios, para atender ao trabalhador cultural que vive no interior. Até o momento, informa o secretário, já foram cadastradas mais de 1500 pessoas no site do Mapa Goiano da Cultura. O prazo para cadastramento foi estendido até o próximo dia 23. 

ABC Digital