Secretário diz que a Prefeitura de Goiânia exigirá cumprimento das normas sanitárias para que não piore a pandemia

Wallisson Moreira informou que a pessoa ao sair de casa tem de usar a máscara e quem for pego desobedecendo e não colaborar pode ser levado a uma delegacia

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia de Goiânia, Wallisson Moreira, e a apresentadora Michelle Bouson, nos estúdios da TBC

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia de Goiânia, Wallisson Moreira, disse hoje no telejornal TBC 1, da TV Brasil Central, ao ser entrevistado pela jornalista Michelle Bouson, que a reabertura do comércio hoje em Goiânia só foi possível devido à quantidade de protocolos que a Prefeitura conseguiu colocar no decreto para que os comerciantes seguissem. Segundo ele, os órgãos municipais de fiscalização estão de olho no cumprimento das medidas sanitárias, para garantir que essa flexibilização não piore a pandemia. “A gente está acompanhando, através da Central de Fiscalização da Covid-19 o cumprimento dessas medidas”, afirmou. 

Disse que a Central de Fiscalização conta com fiscais de sete secretarias e que existem mais de 20 equipes espalhadas pela cidade fazendo a verificação se os comerciantes estão seguindo os protocolos e verificando se os estabelecimentos podem realmente abrir. “Agora, aumentou a quantidade de estabelecimentos e em caso de descumprimento eles podem receber uma multa da Vigilância Sanitária, que parte de R$ 5 mil. Então, é bastante salgada”, observou.

Escalonamento

Wallisson observou ainda que essa é a terceira mudança que a Prefeitura faz no decreto. “Criamos um decreto de escalonamento pedindo os comerciantes para abrir. Depois nós fizemos um decreto obrigando os comerciantes a abrir em determinados horários. Fizemos agora umas mudanças, porque pensávamos apenas nos funcionários nos horários de pico”, assegurou, acrescentando que, agora, pensou-se também na quantidade de pessoas que vão frequentar os estabelecimentos comerciais. A preocupação, segundo ele, continua sendo com o transporte coletivo e com a aglomeração das pessoas ao visitarem os shoppings e estabelecimentos comerciais.

Informou que o comércio varejista, as galerias e os camelódromos podem funcionar das 9h00 às 17h00, e os shoppings, de meio-dia às 20h00. Os demais estabelecimentos e os referidos serviços podem ser consultados no site da prefeitura. Lá as pessoas terão as informações sobre horários e como deve ser o procedimento para a higienização e o distanciamento social.

Multa da máscara

O secretário Wallisson informou que, no caso de ser pega sem a máscara, a pessoa será abordada pela Guarda Civil Metropolitana (GCM), que pegará os dados pessoais e o endereço, e a multa será lavrada pela Vigilância Sanitária na Prefeitura. Posteriormente, será enviada para a residência da pessoa. De acordo com ele, a GCM já faz outros tipos de abordagens “e, se a pessoa se recusar a passar os dados pessoais e o endereço, pode ser convidada a comparecer a uma delegacia, prestar esclarecimentos”. A multa é de R$ 627,00.

Adiantou, no entanto, que a prefeitura não tem a intenção de multar as pessoas. “Queremos que as pessoas se habituem a utilizar a máscara, a uma mudança de hábito. Se nós não conseguimos seguir medidas sanitárias, vai ficar muito difícil realizar outras flexibilizações. Essa flexibilização de agora só está sendo possível porque acreditamos e estamos trabalhando para que as pessoas obedeçam os protocolos sanitários. Acreditamos que teremos uma adesão grande da população e contamos com os segmentos empresariais para nos ajudar com conscientização e mais informações. Com a máscara, a pessoa se protege e protege os outros. Pelo decreto, a pessoa ao sair de casa tem de usar a máscara, mesmo se estiver dentro do carro”, assinalou.

A entrevista completa está disponível abaixo:

ABC Digital