Secretário da Retomada diz no TBC 1 como será o trabalho para incrementar a economia goiana

César Moura disse que ele e o governador Ronaldo Caiado já conseguiram um aporte de R$ 200 milhões do Banco do Brasil para ajudar os empresários goianos mais prejudicados pela pandemia

A apresentadora Michelle Bouson e o secretário da Retomada, César Moura, nos estúdios da TBC

O secretário do novo organismo do Estado de Goiás, a Secretaria da Retomada, César Moura, disse nesta quarta-feira, 5, no TBC 1, da Televisão Brasil Central, à apresentadora Michelle Bouson, que uma das prioridades é fazer chegar o crédito aos empresários que mais sofreram com a pandemia da Covid-19 e que precisam urgentemente de socorro. Afirmou que é objetivo também criar conexões para acelerar a retomada econômica do Estado de Goiás, envolvendo várias secretarias, uma autarquia federal, já está desenvolvendo uma parceria com uma empresa multinacional e quer incorporar outros em novos projetos.

Segundo ele, é preciso entender que o problema é de todos, todos devem estar juntos para enfrentar a pandemia da Covid-19, que ainda está presente e dependendo das ações sanitárias, sendo necessário agora preparar para o enfrentamento das dificuldades econômicas das empresas. Abordou a visão de futuro do governador Ronaldo Caiado ao criar a secretaria e que isso faz com que Goiás saia na frente mostrando a preocupação que tem com o setor econômico.

Sobre as primeiras medidas, informou que tem hoje uma equipe, na região do Entorno do DF, conversando com os comerciantes para ver as dificuldades encontradas. “O governador Ronaldo Caiado nos passa que devemos ter dados para fazer um diagnóstico correto. Como os recursos são escassos, não podemos nos dar ao luxo de errar neste diagnóstico. Temos várias ações. Lançamos uma ontem em Cavalcante, uma região das mais vulneráveis do Estado de Goiás, para a aquisição de produtos da agricultura familiar pela multinacional Ambev, porque o produtor às vezes não tem para quem vender, e queremos, na semana que vem, assim que a secretaria estiver mais estruturada, poder lançar as demais ações”, observou.

Disse ainda que precisa ir in loco, como está fazendo, pegando números com as entidades representativas dos setores econômicos para cruzar os dados e fazer o diagnóstico preciso, observando direito o que aconteceu durante a pandemia. O que há, segundo ele, são informações de grande criação de MEIs, mais de 15 mil criados durante a pandemia, mas ainda carece de uma análise para saber corretamente o que aconteceu, se houve fechamento ou não, se foi uma baixa temporária ou se houve mudança de um negócio para outro.

Afirmou que todos os setores foram afetados de alguma maneira, menos o agro, que ainda pode passar por dificuldades. “O turismo, um dos primeiros que pararam, na semana que vem vamos lançar uma ação, com a Goiás Turismo, na região do Araguaia, para apoiar aquele pessoal que não pode ter a temporada por causa do vírus. Temos uma ação com microempresas, com parceria com a OAB, para podermos fazer o crédito chegar ao pequeno”, acrescentou.

R$ 200 milhões em créditos

Confirmou que esteve semana passada com o governador Ronaldo Caiado em Brasília e o Banco do Brasil garantiu liberar R$ 200 milhões para a GoiásFomento, instituição financeira goiana que desburocratizou na pandemia para não ter restrição do crédito. “Ela recebeu só R$ 10 milhões e o limite era pouco. Expliquei ao governador e ele foi atrás e conseguiu mais esses R$ 200 milhões”, assinalou. Afirmou ainda que a secretaria foi criada sem aumento de custo, porque houve remanejamento de estrutura, onde os orçamentos estavam já definidos, “e agora estamos trabalhando para buscar apoios fora”.

Para fazer o crédito chegar aos mais endividados, assegurou estar fazendo um planejamento com o Sebrae e a OAB para organizar esse débito e dar um documento que viabilize a instituição bancária liberar o crédito para eles. “Na prática, estou colocando uma luz num problema que existe e propondo uma solução para quem precisa atingir o crédito. Estamos destravando os nós, dando as mãos às outras secretarias”, para que juntos possam desenvolver o melhor trabalho, sem distinção de secretaria”, assinalou.

A íntegra da entrevista está disponível abaixo:

Na ABC

Além da entrevista, o secretário César Moura foi recebido pela presidente da Agência Brasil Central, Sofia Bezerra, e pelo diretor de Telerradiodifusão, Marco Aurélio Vigário.

A presidente da Agência Brasil Central, Sofia Bezerra, e o secretário da Retomada, César Moura, em reunião na sede da ABC

ABC Digital