Secretaria da Saúde alerta que é preciso manter a carteira de vacinação em dia, mesmo durante a pandemia

Em entrevista à RBC, gerente de Imunização da SES, Joice Dorneles informou que a campanha contra sarampo prossegue até o fim de agosto; baixos índices de vacinação preocupam as autoridades de saúde

Pesquisa realizada este ano pelo Ibope apontou que metade da população brasileira não se preocupa em atualizar a carteira de vacinação, mesmo que 90% considerem a imunização importante. Agora, com a pandemia da Covid-19, o número daqueles que procuram as vacinas tende a cair ainda mais. O fato preocupa as autoridades de saúde.

Para falar sobre essa situação, os apresentadores do programa O Mundo em sua Casa, Lucas Nogueira e Roberto Cândido, conversaram nesta quinta-feira, 20, com a gerente de Imunização em exercício da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Joice Dorneles. O radiojornal é transmitido pelas rádios Brasil Central AM e RBC FM.

Conforme Joice, nos últimos cinco anos as coberturas vacinais vêm caindo, o que é preocupante. Este ano, por conta da pandemia, preocupa ainda mais. Esforços estão sendo envidados para vacinar toda a população, como crianças e adolescentes. Atualmente o País está em plena campanha de vacinação contra sarampo, que teve início em março e estava prevista terminar em julho, mas foi prorrogada para agosto.

“Esta é uma campanha importante, que previne contra o sarampo, uma doença altamente contagiosa”, esclareceu. A gerente de imunização informou que as Secretarias Estadual e municipais de Saúde estão orientando os servidores para que ofereçam maior qualidade e segurança para quem buscar a vacina, nesse período de pandemia.

Movimento antivacina

Contra os integrantes do movimento antivacina, Joice Dorneles argumentou que a arma é promover uma comunicação assertiva junto à população, demonstrando que outras doenças foram eliminadas por conta das campanhas de vacinação, como a poliomielite e a varíola. No caso do sarampo, estava praticamente eliminado no País, mas retornou devido aos recentes baixos índices de imunização.

A gerente destacou a importância de manter a carteira de vacinação em dia. Lembrou que nos sites do Ministério da Saúde e das Secretarias Estadual e municipais de Saúde é disponibilizado o calendário de vacinação, com a lista de todas as vacinas destinadas às crianças, adolescentes, idosos, gestantes e profissionais de saúde. Citou que a criança, até atingir um ano de idade, recebe mais de dez vacinas.

Garantiu também que há vacinas disponíveis para todos. No Estado, são mais de mil salas de vacinação distribuídas em todos os 246 municípios goianos. A vacina é gratuita, disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e todos devem procurar uma unidade de saúde portando a carteira de vacinação, orientou.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnologicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.