Secretário fala sobre vacinação e reforça necessidade de cuidados com a Covid-19

Ismael Alexandrino explica que formação de anticorpos pela vacina ocorre, em média, 45 dias após a aplicação

O secretário de Estado da Saúde, Ismael Alexandrino, disse hoje, 19, que o início da vacinação contra o coronavírus é um passo importantíssimo e traz grande esperança de dias melhores para todos. Observou, contudo, que as pessoas precisam estar atentas a todos os cuidados sanitários porque a Covid-19 continua presente, fazendo novas vítimas. Em entrevista ao programa O Mundo em Sua Casa, das rádios Brasil Central AM e RBC FM, ele discorreu sobre o plano de vacinação no Estado, iniciado na segunda-feira, 18, em Anápolis.

Ismael Alexandrino disse que todas as regionais de Saúde já receberam a vacina por via terrestre, com exceção de Posse e Campos Belos, cujo envio foi por avião e já estão autorizadas a fazer a vacinação em sintonia com os municípios. “Conforme já definido, primeiro recebem as vacinas os grupos de idosos alojadas em instituições de longa permanência, deficientes físicos nas mesmas condições, indígenas aldeados e profissionais de saúde que estão na linha de frente no tratamento da Covid”, detalhou.

Primeira fase

O titular da saúde confirmou que Goiás recebeu na primeira remessa 183.080 doses da vacina e vai imunizar na primeira fase, um total de 91.500 pessoas. Isso porque é necessário aplicar a segunda dose, o que deverá ocorrer no prazo médio de 21 dias. Ismael Alexandre fez questão de frisar que a vacina é segunda e eficiente, foi amplamente testada com resultados positivos. Explicou que a imunização só ocorre, em média, 45 dias após a aplicação. Portanto, mesmo as pessoas vacinadas, devem manter os cuidados sanitários para evitar contaminação.

Quanto a novas etapas, o secretário explicou que vai depender da oferta de vacinas. “A vinda da vacina da Astra-Zeneca, da Índia, não se concretizou por enquanto e o Instituto Butantã espera Insumo Farmacêutico da China para dar continuidade à produção. Portanto não podemos fixar data para chegada de novas vacinas”, enfatizou. O secretário acrescentou que a vacinação nesta primeira fase, mesmo em pequeno número de pessoas, é importante para reduzir as contaminações, as internações em UTIs e até óbitos.

Ismael Alexandrino abordou também a vinda de pacientes de Manaus, ressaltando que se trata de uma causa humanitária. “Os pacientes estavam morrendo asfixiados, o que é inadmissível, além do que todo o sistema de saúde local se encontra saturado, sem condições de atender mais pessoas”, observou ele, acrescentando que Goiás, por meio do Hospital das Clínicas da UFG, tem condições adequadas para acolher esses pacientes.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.