Secretário diz que Governo de Goiás ajuda as empresas e mantém os empregos

Secretário da Retomada, César Moura afirmou que o governador Caiado toma medidas, com linhas de crédito de 112 milhões de reais a juro zero, para que as empresas consigam sobreviver nesse momento de pandemia e os funcionários não percam os empregos

Em entrevista hoje, 16, ao Jornal Brasil Central, o secretário da Retomada, César Moura, se disse otimista com as medidas adotadas pelo governador Ronaldo Caiado, que vão diminuir o impacto da pandemia nos segmentos da economia e da cultura. “O governador colocou hoje 112 milhões de reais à disposição, com juro zero. E essas linhas de crédito são para os empresários que não demitirem. O governador está fazendo um decreto hoje do fundo de aval, para apoiar e desburocratizar o acesso a esse crédito”, afirmou.

Ele disse também que o pacote lançado hoje pelo governador contém, como foco principal, ações para manter os empregos. “A gente lançou linhas de crédito, com o governo do Estado pagando os juros, é bom enfatizar isso. Então é juro zero para bares, restaurantes, pequenos empresários”, assinalou. Informou que foi lançado também um edital emergencial para a cultura, para apoiar palcos permanentes e festivais, com o intuito de ajudar pessoal que está parado aí há mais de um ano.

“Na Retomada, vamos refazer aquele trabalho de negociação de débitos de micro e pequenas empresas, para elas poderem se habilitar aos créditos e também vamos disponibilizar mais de 3 mil vagas de empregos essa semana para a região metropolitana e ainda curso de qualificação profissional para todo o Estado, com 14 mil vagas online, com foco para preenchimento das vagas e para ajudar os pequenos negociantes, nesse momento de pandemia, com vendas online, takeaway, gerando renda e empregos”, explicou César Moura, observando que essa é uma “ação muito boa que a gente espera estar salvando mais de 50 mil empregos de garçons do mercado de bares e restaurantes”.

Salvar vidas

Ele enfatizou o que disse hoje o governador Ronaldo Caiado, quando do lançamento dessas medidas, deixando claro “que a gente está do lado das vidas, nosso trabalho é para salvar vidas”. Informou que o decreto propõe dar fôlego para ajustar e ajudar a salvar os empregos das pessoas. “Lembramos que nosso inimigo é o vírus, não é o empresário e não é o político. Trabalhamos para salvar vidas e o máximo de empregos. Para quem tiver problema e dificuldade, vamos negociar e facilitar o acesso, além de que o governo federal deve soltar o Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte) nos próximos dias.

Falou também sobre o trabalho que o governo do Estado vem realizando para ajudar na produção da cerveja de mandioca, com foco em mais de 400 famílias atendidas. “Falo família, porque a gente está comprando da propriedade familiar, levando renda que esse pessoal nunca teve. Também há outras empresas aderindo e comprando produtos de agricultura familiar, numa ação do governo do Estado para ajudar o pequeno produtor.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.