Secretário diz que Goiás está pronto para receber solidariamente os pacientes de Manaus

Ismael Alexandrino disse que há expectativa de que a vacinação contra a Covid-19 em Goiás se inicie na próxima semana

O secretário de Saúde de Goiás, Ismael Alexandrino, disse, em entrevista ao TBC 1 da TV Brasil Central, que Goiás está pronto para receber solidariamente os pacientes com Covid-19 de Manaus que estão sofrendo pela falta de oxigênio naquele estado. “A programação inicial é que o Hospital das Clínicas da UFG (HC-UFG) seja o nosso hospital escolhido, tendo em vista que são leitos novos, inaugurados recentemente, tem uma equipe muito bem capacitada, de forma que não impactaríamos tanto do ponto de vista de ocupação na rede do estado como um todo”, afirmou.

Segundo ele, já há 20 leitos preparados, prontos para receber a primeira leva de pacientes. “O Samu da cidade de Goiânia está totalmente preparado, também as ambulâncias de transporte, para o quantitativo que for necessário”, assinalou, acrescentando que toda logística do plano operativo, do desembarque no aeroporto, está pronta e não utilizará a plataforma nova, mas a parte antiga do aeroporto, para não ter nenhum contato com passageiros. “Tudo que está ao alcance da gestão foi feito e pensado, para que esses pacientes que estão agonizando, asfixiando em Manaus, sem oxigênio, possam ter dignidade de atendimento”, explicou Ismael.

Ele disse ainda que, certamente, é um desafio a mais e que neste momento o Estado de Goiás atende a essa solicitação do governo federal. “O governador Ronaldo Caiado age de forma muito solidária, como é solidário o povo goiano, exercendo a sua empatia e buscando ferramentas de gestão, para contornar as dificuldades”, observou. De acordo com ele, esses são leitos extras de uma unidade que foi inaugurada recentemente e tem uma capacidade de até 300 pacientes.

Nova variante já circula

Ismael Alexandrino confirmou que não é a maior preocupação por conta dessa transferência de pacientes a disseminação da nova cepa do vírus, porque eles vêm isolados e ficam isolados, havendo aí um cuidado especial. “Essa variante estará sendo disseminada nos próximos dias no país pelos próprios viajantes, que não tem o cuidado todo que a gente tem com relação aos pacientes. Esses viajantes, a trabalho ou a lazer, provavelmente já disseminaram a outros estados essa nova variante. Muito provavelmente, na maioria dos estados, já temos essa variante. Não é essa transferência de pacientes que vai trazer uma variante nova”, garantiu.

Sobre a questão da falta de oxigênio e o aumento do preço, confirmou que realmente o preço aumentou, mas não de forma exorbitante. “Aqui no Estado de Goiás nós temos, em alguns locais, usinas próprias, que não dependem necessariamente de adquirir nas empresas especializadas. Alguns hospitais têm usinas próprias. As usinas têm uma composição do cilindro comercializado pelas empresas, e aí existe uma compensação. No caso de Manaus, é mais uma dificuldade geográfica, de transporte, onde só chega de avião ou barco”, assinalou.

Vacina

Ele confirmou ainda a expectativa de que em Goiás se comece a vacinar contra a Covid-19 na próxima semana. “Tem um avião em Recife esperando o comando para decolar para a Índia para buscar a vacina da Oxford/AQstraZeneca, no quantitativo de 2 milhões de doses, e devem chegar a Goiás um quantitativo de 140 a 150 mil doses. Está com um dia de atraso em relação ao planejamento inicial, mas existe a expectativa de que a partir do meio da semana que vem, a qualquer momento, iniciemos a vacinação. Estamos prontos para receber, inclusive com a rede de frios. Ontem recebemos mais kits de seringas e agulhas, temos um bom estoque em nosso almoxarifado. Assim que chegar, divulgaremos todas as salas de vacina, os grupos prioritários, para que tenhamos uma vacinação exitosa”, concluiu.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.