Schmidt: situação melhorou bastante, mas é preciso continuar fazendo o dever de casa

Em entrevista à TBC, a secretária da Economia falou que o Governo está equacionando dívidas com os fornecedores; e abordou ainda temas como PEC do Teto, Regime de Recuperação Fiscal e planejamento orçamentário e financeiro

Ao falar sobre a atual situação do Tesouro Estadual, a secretária de Estado da Economia, Cristiane Schmidt garantiu que já melhorou muito. “Estamos indo numa trajetória muito boa, a direção é correta, mas o dever de casa continua sendo feito”, ponderou. Ela foi entrevistada, nesta quarta-feira, 7, no programa Boa Noite Goiás, onde falou sobre vários assuntos relacionados à situação financeira do Governo Estadual e perspectivas futuras.

Cristiane Schmidt lembrou que Goiás ainda está com o serviço da dívida suspenso e não deseja que ela aumente para evitar se tornar um novo Rio de Janeiro, onde a máquina pública estadual não tem funcionado nos últimos anos, embora aquele Estado tenha ingressado no Regime de Recuperação Fiscal (RFF). Sobre Goiás, garantiu: “nós temos uma dívida em suspensão, mas estamos aproveitando cada minuto, cada centavo dessa dívida em suspensão para arrumarmos a casa”.

Segundo a secretária, a dívida de curto prazo do Estado já foi equacionada. “Só para ter uma ideia, tínhamos mais de 4.500 fornecedores para os quais devíamos, hoje nós devemos para menos de 200 fornecedores”, citou. Acrescentou que uma parte pequena das dívidas menores está sendo solucionada. Agora, o Governo vai se concentrar nos maiores devedores e irá negociar com eles, um a um, para equacionar de vez todo esse débito chamado de “restos a pagar”, que é a dívida de curto prazo deixada pela gestão anterior.

Fornecedores

Conforme a titular da Secretaria da Economia, qualquer fornecedor que, neste momento, esteja oferecendo um serviço para o Estado de Goiás, na hora que executa, ele será pago. “Agora, o risco de você fornecer serviços e bens para o Estado de Goiás diminuiu consideravelmente, porque o fornecedor sabe que logo que prestar o serviço a gente vai estar fazendo devidamente o pagamento”, destacou.

Durante a entrevista, a secretária afirmou que o Governo Estadual está fazendo um planejamento orçamentário e financeiro “extremamente cuidadoso e responsável, e validado pela Secretaria do Tesouro Nacional”. Adiantou que, junto com os outros Poderes, será elaborada a dinâmica das despesas ao longo dos anos. “Goiás vai ter um planejamento de médio e longo prazo das suas despesas de pessoal e correntes”, reforçou.

Cristiane Schmidt falou ainda sobre a PEC do Teto de Gastos, salário dos servidores públicos, o lançamento do Sistema Integrado para o Produtor Rural (Guia de Trânsito Animal mais nota fiscal eletrônica), entre outros assuntos.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.