Saúde reforça orientações sanitárias para quem viajar no feriado

Conforme a superintendente Flúvia Amorim, qualquer tipo aglomeração pode aumentar a transmissão da Covid-19; na RBC ela alertou que os jovens também devem tomar alguns cuidados

Na próxima segunda-feira, dia 12 de outubro, é comemorado o feriado nacional de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil. Com o fim de semana prolongado, muitas pessoas devem procurar as cidades turísticas goianas. E como a pandemia da Covid-19 ainda não acabou, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) alerta sobre os cuidados necessários para evitar a contaminação pelo novo coronavírus, que devem ser observados também pelos mais jovens.

Em entrevista ao programa O Mundo em sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM nesta quarta-feira, 7, a superintendente de Vigilância em Saúde da SES, Flúvia Amorim, ponderou que “sair de casa para se divertir no feriado é algo saudável, mas deve ser feito com segurança”. Ela orientou o uso de máscara sempre que se estiver um local público, além de manter o distanciamento social.

Conforme Flúvia, se sabe que existe a possibilidade de transmissão do vírus via aérea, pois estudos já comprovaram isso. Ou seja, além de gotículas, o vírus pode ficar no ar. Disse que, no último feriado de 7 de setembro, foi verificado que bares e restaurantes estão mantendo as mesas distantes umas das outras, mas próximo a esses locais ocorreram aglomerações de pessoas. “Qualquer tipo de aglomeração pode aumentar a transmissão da doença”, disse, na entrevista concedida aos apresentadores Rafael Mesquita e Roberto Cândido.

Jovens

Declarou que também foi observado no último feriado que são os jovens os que mais participaram dessas aglomerações nas cidades turísticas goianas. Flúvia lembrou que os jovens também podem se contaminar, transmitir e ficar doentes, embora a maioria desenvolva a forma leve a moderada da Covid-19. Mas eles podem colocar em risco a saúde de outras pessoas mais velhas, como tios, avós e pais. “É para isso que queremos chamar a atenção”, alertou.

Para o próximo feriado de 12 de outubro, informou que o Governo do Estado, por meio da SES e da Goiás Turismo, criou um grupo de ação juntamente com os municípios turísticos para garantir a segurança sanitária dos visitantes e moradores dessas localidades. O Estado vai dar o apoio, mas quem vai executar as ações efetivamente são os municípios. “Queremos que as pessoas se divirtam, mas com segurança. A pandemia não acabou”, ressaltou.

Sobre a possibilidade de flexibilização de novas atividades – como aulas presenciais nas escolas e eventos – a partir de novembro, a superintendente comentou que o Centro de Operações de Emergência em Saúde (COE) está analisando os indicadores de número de mortes pela Covid-19 e porcentual de ocupação de leitos no Estado. Isso para definir se será possível a retomada “de forma gradual”. Entretanto, observou que o COE é um órgão deliberativo, e não decisório.

Confira a entrevista na íntegra:

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.