Saúde municipal alerta para critérios de vacinação de pessoas com comorbidades

Na capital, documento com carimbo e assinatura do médico e agendamento prévio pelo aplicativo Goiânia 24 horas são requisitos para comparecimento aos postos de vacinação

A diretora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, Grécia Carolina Pessoni, fez alerta aos portadores de comorbidades para a necessidade de organizar a documentação para que tenham acesso à vacina contra Covid-19. Em entrevista hoje, 6, ao programa O Mundo em Sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM, ela informou que muitas pessoas estão procurando os postos sem documentos ou com documentação incompleta e acabam perdendo tempo em filas e prejudicando o andamento dos trabalhos.

Conforme Grécia Pessoni, antes de se dirigir aos postos, é imprescindível que os portadores de comorbidades obtenham documento com  carimbo e assinatura do médico e façam o agendamento pelo aplicativo Prefeitura 24 horas (cujas instruções estão em goiania.go.gov.br/agendamento-vacina), podendo ser baixado para Android e IOS. Já no site da prefeitura (goiania.go.gov.br) os interessados encontram a relação completa de todas as doenças classificadas como comorbidades. Nas unidades de saúde da prefeitura, os próprios médicos podem imprimir o documento, carimbar, assinar e entregar aos pacientes.

Desinformação

“Hepatite A e B e hipertensão arterial não são comorbidades”, esclarece Grécia Pessoni, acrescentando que várias pessoas têm procurado os postos de vacinação alegando serem portadoras dessas doenças. Ela lembrou que no caso de diabetes, muitos já possuem documentos médicos que comprovam o problema. Neste caso, podem apresentar esse documento após o agendamento pelo aplicativo da prefeitura.

No primeiro dia de vacinação do grupo de comorbidades, o ritmo de vacinação foi lento. Porém, para esta quinta-feira, estão agendadas mais de 3,6 mil pessoas, segundo informou a diretora da Secretaria Municipal de Saúde. “Por conta disso, aumentamos para 19 o número de postos de vacinação, utilizando as estruturas já montadas em escolas, onde a vacinação de idosos continua. Nos mesmos locais vamos fazer também a imunização contra Covid-19 de pessoas com comorbidades”, arrematou.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.