Saúde confirma que Goiás está preparado para iniciar vacinação

Superintendente Flúvia Amorim disse que está alertando as prefeituras para que se preparem, porque logo alguma vacina contra a Covid-19 estará chegando ao Estado de Goiás

A superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual, Flúvia Amorim, disse hoje, 7/1, em entrevista ao programa O Mundo em Sua Casa, das rádios Brasil Central AM e RBC FM, que Goiás já está preparado para iniciar a vacinação contra a Covid-19, assim que as vacinas forem disponibilizadas. “Estamos prontos, mas alguns planos precisam ser definidos, inclusive com os novos gestores municipais: horário de funcionamento; quantas salas serão abertas; deveremos receber uma quantidade menor de doses, num primeiro momento e ir ampliando; saber qual vacina virá e quantas doses”, afirmou.

A preparação está calibrada para vários cenários de vacinas, tanto as que precisam ser armazenadas de - 2º a - 8ºC, quanto as de -70ºC, e para quaisquer dessas possibilidades, “temos condições de receber e distribuir”. Agora, na opinião dela, é só aguardar a chegada das vacinas. Não definiu um prazo concreto, mas falou em 10 ou 15 dias. Informou que serão vacinados primeiros os grupos prioritários, idosos de 60 anos de idade e mais, dependendo da quantidade de doses, o que pode aumentar essa idade, trabalhadores de saúde, populações ribeirinhas e os indígenas. “Seguimos a orientação nacional e que não é diferente do que determina a OMS e outros países”, assegurou.

Para Flúvia, esta campanha será o maior desafio de vacinação que o Brasil já teve, mesmo o país sendo modelo de campanha de vacinação mundo afora. Por isso, espera que seja uma campanha exitosa.  Fez um apelo contra as fake News dos grupos contra as vacinas e observou que estão combatendo isso com os estudos e os resultados das vacinações que já acontecem. “A segurança já comprovada garante que a nossa vacinação também será um sucesso, porque não há praticamente nenhum resultado adverso para as pessoas que já se vacinaram, quase 20 milhões no mundo todo, enquanto que no Brasil morrem mais de mil pessoas por dia por causa da Covid”, assinalou.

Aulas

Sobre a volta dos alunos às salas de aula, afirmou que foi  pactuado com o COE (Centro de Operações Emergenciais) e as entidades de educação, que para as aulas presenciais voltarem seria importante que o número de casos estivesse em queda, assim como as internações e óbitos. “Deliberamos ontem com as entidades, para que mantivessem os 30%, obedecendo a esses indicadores, porque no final do ano houve muitas festas, há uma tendência de crescimento da covid, de casos, óbitos e de internação em Goiás. Daqui a três semanas vamos fazer uma nova avaliação, para ver se poderemos aumentar de 30% para 50% de alunos”, afirmou. Criticou a postura do prefeito de Terezópolis, que não está exigindo o uso de máscara e disse ainda que a taxa de ocupação de leitos em Goiás está em 60%, portanto, crescendo nos últimos dias.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.