Programa de Aquisição de Alimentos: fortalece a agricultura familiar e beneficia pessoas em vulnerabilidade social

Gerente da Seapa explicou à RBC como vai funcionar a logística de distribuição de alimentos para entidades sociais, adquiridos de agricultores familiares de 92 municípios goianos

As propostas de 825 produtores da agricultura familiar de 92 municípios foram selecionadas pelo Governo do Estado para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) estadual. A expectativa é que o fornecimento dos alimentos às entidades sociais selecionadas pela Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) ocorra a partir de janeiro de 2021.

O gerente de Produção Sustentável e Agricultura Familiar da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) Ricardo Carneiro de Araújo, foi entrevistado nesta quinta-feira, 3, pelo programa O Mundo em sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM. Ele explicou aos apresentadores Gil Bomfim e Jerônimo Venâncio como funciona e como será a logística do PAA estadual.

Conforme Ricardo, o programa é do governo federal, mas o governo estadual é o gestor de toda a cadeia. A Seapa mantém parceria com o Gabinete de Políticas Sociais, a Secretaria da Retomada, a Emater e a OVG. A Emater é a responsável pelo cadastramento dos produtores, a assistência técnica e o acompanhamento da entrega dos alimentos. A OVG ficou responsável pelas entidades sociais, para  onde serão distribuídos os alimentos da agricultura familiar. Inicialmente foi feito o cadastramento e a seleção dos agricultores, por meio de edital.

Logística

Agora a Seapa está realizando a etapa de comunicação entre os produtores e as entidades, fazendo esse trabalho de levantamento, adiantou o gerente, ao acrescentar que o mês de dezembro vai ser de interlocução. Segundo ele, a logística do PAA funcionará assim: o produtor vai entregar (os alimentos) diretamente nas entidades sociais e estas ficarão responsáveis por emitir o termo de aceitabilidade e o certificado de entrega. O produtor, então,  vai emitir uma nota fiscal em nome do Ministério da Cidadania. Ele vai repassar para o governo do Estado autenticar essa operação, e será feita a liiberação do recurso via governo federal.

“Toda essa logística é para fortalecer ainda mais a agricultura familiar e, em contrapartida, beneficiar quem está mais em (situação de) vulnerabilidade, tanto social, nutricional quanto alimentar em Goiás, nesses 92 municípios”, declarou. Ricardo Carneiro disse que o Programa representará uma injeção de recursos nas economias dos municípios, lembrando que há uma garantia de compra de até R$ 6.500,00 por produtor. “A gente está falando em mais de R$ 5 milhões injetados na economia do Estado”, complementou.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.