Programa Compliance avança na ABC com aprovação de matriz de risco

Comitê Setorial aprovou matriz com 14 riscos de gestão a serem monitorados em todas as áreas da agência

Programa de controle e transparência no poder público lançado pelo Governo de Goiás em fevereiro de 2019, o Compliance avançou mais uma etapa nesta semana em seu processo de implantação na Agência Brasil Central (ABC). Na última segunda-feira, 27, o Comitê Setorial de Compliance da agência apresentou em uma videoconferência a matriz de riscos com 14 itens considerados sensíveis à gestão para monitoramento na agência. O documento foi aprovado na última terça, 28.

A matriz de riscos é pré-requisito para a construção dos indicadores de resultados do Compliance, etapa que também será realizada pelo Comitê Setorial com ampla participação dos servidores. A ABC aderiu ao Compliance Público em setembro do ano passado, em termo de compromisso assinado com a Controladoria-Geral do Estado (CGE), órgão que coordena a implantação do programa em toda a Administração Estadual.

Para a presidente da ABC, Sofia Bezerra Coelho da Rocha Lima, a implantação do Compliance proporcionará um “momento novo e promissor” na agência. Segundo ela, a partir da matriz de riscos, o trabalho terá três metas na agência, focando primeiramente na transparência dos contratos, na gestão de pessoal e nas sindicâncias.

“Vamos fazer uma força-tarefa para avançar rapidamente na conclusão das sindicâncias que temos hoje abertas na agência e espero que possamos em breve olhar para frente também, apontar para o futuro com mais transparência ainda e efetividade do nosso trabalho”, comentou ela, que preside também o Comitê Setorial de Compliance da agência.

Sofia também acrescentou que vê com bons olhos a participação da equipe do Compliance e que espera que o trabalho realizado pela comissão seja amplamente divulgado e fomentado pelos cargos gerenciais. Ela ainda acrescenta que a iniciativa deve resultar em uma redução de denúncias e de irregularidades, já que os servidores serão encorajados a se envolverem mais nos processos, numa conscientização para uma postura mais ética e transparente.

De acordo com Maurício Gonçalves, coordenador de Planejamento da Gerência de Gestão e Finanças da ABC e assessor técnico do Comitê Setorial de Compliance, as duas primeiras gerências que terão seus riscos monitorados serão a Gerência de Apoio Administrativo (com 10 riscos) e a de Gestão e Finanças (com quatro riscos).

O monitoramento é feito pelo próprio Comitê Setorial de Compliance da ABC com apoio de dois auditores da CGE. O Comitê Setorial de Compliance da Agência Brasil Central é formado por todos os gerentes de área, um representante da Ouvidoria da agência, o assessor contábil da agência, uma procuradora do Estado, dois diretores e a presidente da ABC, totalizando 11 pessoas.

ABC Digital