Procon Goiás orienta o consumidor como comprar na segunda edição da Semana Brasil

O gerente Gleidson Tomaz disse à RBC que é preciso cuidado com os falsos descontos; nas compras on line deve se verificar o custo do frete e também ficar atento aos golpistas

Começa nesta quinta-feira, 3, e se estende até o próximo dia 13, a segunda edição da Semana Brasil, campanha nacional do comércio varejista. O objetivo é recuperar as vendas que ficaram prejudicadas com pandemia da Covid-19. Mas o Procon Goiás alerta que é preciso muito cuidado ao comprar durante esse tipo de campanha, seja nas lojas físicas ou on line.

Para orientar o consumidor, o órgão elaborou uma pesquisa de preços contendo de mais de 2 mil produtos em 82 pontos de venda de Goiânia e Aparecida. O gerente de Pesquisa e Cálculo do Procon Goiás, Gleidson Tomaz, deu mais detalhes durante entrevista concedida nesta quinta ao programa O Mundo em sua Casa das Rádios Brasil Central e RBC FM. O radiojornal foi comandado por Ernesto Fleury e Luzeni Gomes.

Maquiagem no preço

Gleidson disse que foram levantados os preços de itens da linha branca (geladeira e fogão), de perfumes e roupas, entre outros. A planilha está disponível no site do Procon para que o consumidor possa consultá-la e verificar se o desconto ofertado é real ou não. Caso ele perceba maquiagem no preço, deve denunciar imediatamente ao órgão.

“Nessa semana (da campanha) vamos deixar uma equipe de fiscais de prontidão”, disse, lembrando que é importante denunciar de imediato, ao constatar essa prática. Gleidson contou que a legislação goiana determina às lojas que mantenham um histórico do preço do produto dos últimos 12 meses, e isso facilita o trabalho dos fiscais na constatação de irregularidades.

Compras on line

Nas compras on line, cuja procura cresceu devido à pandemia, o gerente informou que o Procon Goiás também fez um banco de dados para uso interno. Foram visitados 20 sites mais conhecidos e coletados os preços de mais de 2 mil produtos. O gerente informou que os fiscais do Procon vão visitar novamente as lojas onde levantaram os preços e também fazer um comparativo com os valores ofertados nos sites.

Segundo ele, nas compras pela internet é importante o consumidor verificar a viabilidade econômica ao adicionar o custo do frete do produto. E orientou: “quando estiver pesquisando determinado produto vão aparecer várias janelinhas com ofertas desse item, nunca clique nessa janela”. Conforme Gleidson, mais de 99% dos golpes do comércio eletrônico acontecem nessas janelas.

Ele recomendou buscar o produto no site da empresa e verificar se o endereço eletrônico é seguro. Para isso, deve ter o https e aquele cadeadinho. Lembrou que, em cada etapa da compra, é importante printar ou imprimir a tela, pois para reclamar junto ao Procon essas imagens são necessárias.

Desistência

Afirmou ainda que, em toda compra feita fora do estabelecimento (como pela internet), se o consumidor receber o produto e desistir do negócio, ele tem prazo de sete dias para devolver. E pode receber de volta o valor pago, tem o direito de ser ressarcido.

Já no caso da compra realizada em loja física, Gleidson Tomaz recomendou ao consumidor não esquecer de testar o equipamento no estabelecimento. “Se ele levar para casa, e chegando lá o produto não funcionar, a loja não tem a obrigação de trocar. Infelizmente, terá de ser levado para a assistência técnica”, afirmou.

ABC Digital