Procon Goiás reforça necessidade de pesquisar diante da escalada dos preços da cesta básica

Pesquisa do órgão, realizada em 15 supermercados de Goiânia apontou aumento médio de 31% na comparação com ano anterior; gerente disse à RBC FM que as variações entre maiores e menores preços também são elevadas

Pesquisa de preço realizada pelo Procon Goiás em 15 supermercados de Goiânia apurou aumento médio de 31,36% no custo da cesta básica, em relação a 2020. Os pesquisadores do órgão de defesa do consumidor visitaram os estabelecimentos varejistas no período de 18 a 28 de fevereiro último. Foram levantados os preços de 37 produtos de 13 itens alimentícios, com base na cesta básica nacional do Dieese.

Em entrevista ao programa Primeiro Tempo, da RBC FM, o gerente de Pesquisa e Cálculo do Procon Goiás, Gleidson Tomaz considerou “muito alto” o porcentual de aumento dos alimentos da cesta básica na capital. Mas acrescentou que, se forem analisados os produtos individualmente, será possível verificar que alguns itens tiveram aumentos “estratosféricos”.

Ele citou o caso do litro de óleo de soja, que era vendido no ano passado ao preço médio de R$ 3,85; e agora custa, em média, R$ 6,75, com alta de 75%. O preço médio do arroz teve, no período, alta média de 65%, e o quilo da carne bovina (coxão duro) subiu 42%. Ele informou que o preço médio da cesta básica, conforme a pesquisa do Procon Goiás, atingiu o valor de R$ 479,76.

Menores e maiores preços

O gerente disse ainda que os 13 itens da cesta básica, levando em consideração os menores e os maiores preços levantados, e ainda mesma marca e mesmo peso, podem variar nos supermercados de Goiânia de R$ 366,22 até R$ 645,44. Ou seja, com variação de preço de 76%.

Gleidson Tomaz informou que, para quem ganha salário mínimo, a situação não está fácil. E reforçou a necessidade do consumidor pesquisar, porque as variações de preços são expressivas. Sugeriu ainda, que o consumidor consulte o site do Procon, para encontrar qual, entre os 15 supermercados, oferece a maior  concentração de produtos com preços mais vantajosos. Dessa forma, ele poderá ir diretamente para lá e não vai precisar ficar visitando quatro ou cinco estabelecimentos, evitando assim a aglomeração de pessoas, argumentou.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.