Procon alerta: Pix como app de relacionamento pode deixar o usuário sujeito a golpes

Em entrevista à RBC, superintendente em exercício do órgão chama a atenção para o fato de expor dados na rede, que podem ser coletados e utilizados por pessoas de má fé

A utilização do meio de pagamento eletrônico Pix como aplicativo de relacionamento pode gerar dor de cabeça para o usuário. A lei digital brasileira não prevê o uso do sistema para essa finalidade. Ao adotar a prática intitulada Pix Tinder, de paquerar a partir do novo sistema de pagamento e transferência instantâneo criado pelo Banco Central, a pessoa está sujeita à ação de golpistas.

O alerta é do Procon Goiás e foi reforçado pela superintendente em exercício do órgão, Aline Terto, em entrevista concedida, nesta terça-feira, 09/02, ao programa O Mundo em sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM. Segundo ela, esta brincadeira preocupa, pelo fato da pessoa “estar expondo muito seus dados”.

Contramão da lei

Aline lembrou que foi sancionada a lei de proteção de dados. Com essa brincadeira, as pessoas estão indo na “contramão” da legislação que está tentando preservar (os dados), pois estão se expondo. Lembrou que esses dados “não são públicos, mas publicáveis”.

“A partir do momento em que o usuário faz a opção de compartilhar essas informações, ele está deixando em aberto muitas informações dele que podem vir a ser usadas por pessoas de má fé”, ressaltou. Citou a orientação de especialistas, de que se for divulgar a chave do Pix, que pelo menos seja aquela chave aleatória, e não as outras três opções: CPF, e-mail e número do celular.

Exposição

Ponderou que, mesmo assim, no caso de ser feita a exposição da chave aleatória e do nome ou apelido, quando se faz o Pix aparece o número do banco, da agência e da conta, e isso é uma exposição de dados. Quando as pessoas têm má fé, elas vão atrás de achar dados e informações, e podem até buscar fazer uma senha. A superintendente citou o golpe muito comum hoje, que é o da clonagem do Whatsapp.

Para quem já participou da brincadeira do Pix Tinder e agora se preocupa com as consequências, a superintendente recomendou ficar atento, mudar a chave do Pix e ficar observando as transações bancárias. Qualquer sinal de algo diferente, a pessoa deve procurar o banco e também a delegacia, para que seja investigado se houve algum tipo de fraude.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.