Procon-GO: material escolar pode ter variação de preço de quase 600%

O gerente de Pesquisa e Cálculo do Procon-GO, Gleidson Tomaz, falou sobre a variação de preço dos objetos escolares, nas papelarias da capital

Com o início de um novo ano, as instituições de ensino começam a se preparar para a volta às aulas. As escolas públicas de Goiânia e Aparecida de Goiânia não têm previsão de retorno das aulas presenciais, já os colégios estaduais permitirão a presença de 30% da capacidade. Por isso, está na hora de começar a pensar nas despesas com as crianças. Em pesquisa na capital, o Procon-GO registrou uma variação de até 593% nos materiais escolares.

O gerente de Pesquisa e Cálculo do Procon-GO, Gleidson Tomaz, esteve no TBC 1 para falar sobre os resultados dessa análise. O órgão visitou várias regiões da capital entre 15 papelarias, pesquisando 121 itens que costumam aparecer nas listas das escolas. A boa notícia é que a lista diminuiu, as instituições estão pedindo menos materiais. No entanto, a má notícia é que os produtos estão mais caros.

Na média, houve uma alta de 13% dos objetos escolares, mas a variação individual pode chegar a quase 600%. Por isso, a recomendação do gerente de Cálculo é que os pais vão até a escola, antes de ir às compras, e peçam os materiais que não foram utilizados no ano anterior, Assim, haverá uma maior economia para este ano.

Outra preocupação é quanto aos abusos que podem ser praticados pelas próprias escolas, referente a mensalidades e exigência de produtos. Os responsáveis têm o direito de solicitar uma planilha de custos que comprove a necessidade de reajuste de matrícula. E ainda, segundo Gleidson: “a escola não pode determinar marca ou produtos”, cabe ao consumidor pesquisar e escolher os itens com melhor custo-benefício.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.