Procon apura diferença de até 137% em preços de testes para coronavírus em Goiânia

Gerente de Pesquisa e Cálculo do órgão, Gleidson Tomaz sugere ao consumidor aliar qualidade e preço na hora de escolher onde fazer o teste

O gerente de Pesquisa e Cálculo do Procon Goiás, Gleidson Tomaz, e a apresentadora Michelle Bouson, nos estúdios da TBC

Com o aumento da procura por testes de detecção de coronavírus na rede particular de laboratórios em Goiânia, o Procon Goiás apurou uma diferença de preço de até 137% nesses serviços. O gerente de Pesquisa e Cálculo do órgão, Gleidson Tomaz, conversou sobre o assunto nesta terça-feira, 21, com a apresentadora do TBC 1, Michelle Bouson.

Segundo Tomaz, a pesquisa levantou preços de dois tipos de testes (PCR e sorológico) para o novo coronavírus em sete laboratórios da capital. Foi no sorológico que as equipes do Procon encontraram a maior variação de preço: 137%. No PCR, a variação chegou a 42,86%, com preços variando de R$ 280 a 400%.

“Não há que se falar em preço abusivo, já que esses produtos não são tabelados e cada laboratório precifica o tipo de serviço que presta ao consumidor. O que é necessário é que o consumidor procure aliar qualidade com o preço que esteja adequado ao seu orçamento”, disse o gerente do Procon acrescentando que reclamações só seriam devidos caso se confirme má prestação do serviço que interfira no resultado do exame e não necessariamente pelo preço cobrado.

Confira a entrevista na íntegra:

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnologicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.