Preso terá que bancar sua tornozeleira eletrônica

Agora é lei. O governador Ronaldo Caiado sancionou nesta terça-feira, 5, a lei que repassa ao usuário o custo da tornozeleira eletrônica, equipamento de vigilância remota de pessoas investigadas, acusadas, presas ou condenadas em Goiás. De acordo com a Diretoria-geral de Administração Penitenciária (DGAP), cada tornozeleira tem um custo de R$ 245 por mês. Segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), atualmente 4.602 detentos fazem uso do dispositivo no estado, com custo anual de R$ 13 milhões.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.