Presidente do Ipasgo destaca equilíbrio financeiro e serviços descentralizados

Hélio José Lopes aponta estabilidade entre receitas e despesas, pagamento em dia dos prestadores de serviços, criação de unidades especializadas e descentralização dos serviços

Entrevistado no programa Boa Noite Goiás na terça-feira, 6, o presidente do Instituto de Assistência dos Servidores do Estado de Goiás (Ipasgo), Hélio José Lopes, falou sobre as medidas administrativas, ações e realizações, enfatizando principalmente a estabilidade financeira da Instituição, que têm possibilitado expandir e melhorar o atendimento aos usuários em todas as regiões do Estado. Conforme disse, esses avanços resultam da nova forma de gestão implementada no Instituto com a chegada do médico Ronaldo Caiado ao Governo do Estado.

Hélio Lopes lembrou que o Ipasgo enfrentava sérios problemas administrativos e fiscais. A partir de 2019, com sua reestruturação, foi possível obter o equilíbrio financeiro, o que é fundamental para executar os planos, programas e ações de atendimento aos usuários. “Temos hoje mais de 620 mil usuários, dos quais 30% em Goiânia e 70% no interior. Por isso trabalhamos para descentralizar os serviços, garantindo atendimento onde as pessoas moram”, observou o dirigente. Com esse foco, foram instaladas unidades do Ipasgo Clínicas em Anápolis (que atende vários municípios da região), bem como em Campinas (para saúde mental), Leste Universitário e Setor Oeste, além de manter a unidade de Aparecida de Goiânia. Anunciou também a implantação de Ipasgo Clínicas em outros 19 municípios até o fim de 2022.

Pandemia

O presidente também divulgou dados sobre os gastos realizados pelo Ipasgo no atendimento específico de pessoas que foram acometidas pela pandemia do novo Coronavírus. Segundo ele, neste período foram investidos mais de R$ 221 milhões em pagamento de serviços como atendimentos, exames, internação hospitalar e até leitos de UTI. A previsão é que o montante aplicado no tratamento dos casos de Covid-19 chegue a R$ 283 milhões até o fim deste ano. Exemplificando, Hélio Lopes informou que o Instituto paga em média R$ 3.300,00 por diária de UTI nos hospitais credenciados.

Outro ponto relevante abordado pelo dirigente do Ipasgo foi relativo ao credenciamento de novos prestadores de serviços, tanto físicos como jurídicos. Ele informou que uma etapa foi concluída em abril deste ano, para credenciamento de pessoas físicas (médicos e profissionais de especialidades diversas), com registro de mais de 6 mil inscrições, o que demonstra a confiança dos profissionais no Instituto. Outra etapa de credenciamento, para pessoas jurídicas (hospitais, laboratórios, clínicas e bancos de sangue), vai começar no dia 15 deste mês e se estender até 13 de setembro.

Ainda durante o programa, Hélio Lopes abordou temas diversos, como a realização de estudos para inclusão no Ipasgo de agregados dos usuários; retomada dos atendimentos pelo programa Ipasgo Saúde, que tem caráter preventivo de enfermidades; atendimento de usuários em trânsito fora de Goiás e também sobre sua posse como presidente do Conselho Nacional de Entidades de Saúde Pública (Conesp).  

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.