Presidente do Conselho de Saúde de Goiânia fala no TBC 1 da importância do isolamento social durante a pandemia na capital

Para Celi Dalva Bittencourt, situação na capital ainda é preocupante, já que o isolamento social tem se mantido longe do ideal de 50%

A apresentadora Eva Taucci e a presidente do Conselho Municipal de Saúde de Goiânia, Celi Dalva Bittencourt, nos estúdios da TBC

Pesquisa da Universidade Federal de Goiás (UFG) mostra que o isolamento social realizado em março, início da pandemia no estado, poupou mais de 3.500 vidas em Goiás. O estudo associa o índice de mais de 60% de isolamento conseguido à época à disponibilidade de leitos que receberam os infectados pelo novo coronavírus.

Mas essa realidade já faz parte do passado e hoje o estado figura na rabeira do ranking de isolamento social, ficando sempre abaixo de 40% desde então. Para falar da importância da manutenção do isolamento social em pelo menos 50%, dado trazido também pelo estudo dos especialistas da UFG, o telejornal TBC1 da TV Brasil Central recebeu nesta sexta-feira, 19, a presidente do Conselho Municipal de Saúde de Goiânia, Celi Dalva Bittencourt.

Ela conversou com a apresentadora Eva Taucci na coluna Bate-papo do Dia e ressaltou a “situação preocupante” que a capital vive atualmente em relação à pandemia, principalmente pelo baixo índice de isolamento social, em 34%. “Se nós não tivermos 50% nesse isolamento, a previsão é que tenhamos cerca de 1800 óbitos até agosto só em Goiânia”, observou Celi Dalva sobre previsão do mesmo estudo da UFG.

Segundo a presidente do Conselho de Saúde da capital, o baixo índice de isolamento social se reflete diretamente no aumento de casos e consequente ocupação dos leitos hospitalares. Celi Dalva informa que hoje Goiânia tem ocupados 84% de seus leitos específicos para Covid e 91% dos leitos de enfermaria geral. No estado, esse índice de lotação hospitalar está em 73%.

“Nós defendemos no conselho uma reabertura responsável [do comércio]. Isso significa passar de uma fase 2 para fase 3 nesse processo com no máximo 80% dos leitos hospitalares ocupados, e hoje nós não temos isso”, disse Celi Dalva afirmando que só com a união de empresários, governos e sociedade a pandemia poderá ser enfrentada com sucesso. 

Confira a entrevista completa:

ABC Digital