Presidente da Goiás Turismo informa que oito datas foram definidas para um controle maior no movimento de pessoas nas cidades turísticas

Fabrício Amaral disse, em entrevista à RBC, que os órgãos do Governo do Estado vão atuar em parceria com o Ministério Público e as prefeituras, para garantir o turismo e a saúde dos visitantes

Em entrevista ao radiojornal O Mundo em sua Casa nesta segunda-feira, 21, o presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, informou que, a princípio, foram definidas oito datas com potencial de aglomeração de pessoas. Nesses dias será realizado um trabalho de maior controle no acesso e movimento de pessoas nas cidades turísticas goianas. Ele explicou que o recomendado pelo Ministério Público, com esse objetivo, já tinha sido combinado e será cumprido.

A escolha das datas foi decidida em reunião realizada com representantes do Ministério Público, das Secretarias de Segurança Pública e da Saúde, e das prefeituras de municípios turísticos. O Governo do Estado, inclusive, criou recentemente um Comitê Permanente para desenvolver formas de coibir excessos, como os verificados no último feriado de 7 de setembro.

Ações práticas

Fabrício adiantou a Juvêncio Alarcon e Rafael Mesquita, apresentadores das rádios Brasil Central AM e RBC FM que, a partir de hoje, vai ocorrer uma nova rodada de reuniões. O objetivo é definir, do ponto de vista prático, o que o será feito em parceria, pelo Estado e municípios, visando evitar o aumento da contaminação e mortes de pessoas/turistas, e que pode prejudicar “todo o trabalho de seis meses que todos vêm fazendo, de controle dessas aglomerações”.

O presidente da Goiás Turismo salientou que o Ministério Público é um grande parceiro; e que os empresários formais “têm sido espetaculares, porque eles não querem que (o setor) feche novamente, o turismo não comportaria”. Ele ponderou que a situação “complicada” é decorrente do comportamento de algumas “pessoas irresponsáveis”, que não entenderam a gravidade da pandemia que estamos vivendo. Reforçou que “a contribuição do cidadão é fundamental”.

Conforme Fabrício, no último feriado de 7 de setembro foram verificados 23 municípios goianos com aglomerações comprovadas, sem contar as aglomerações normais do dia a dia. Indagado sobre como será realizada a fiscalização, lembrou que essa é uma atribuição dos municípios.

Apoio

Entretanto, destacou que o Governo do Estado sempre vai apoiar, com a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros; e com a Secretaria da Saúde, através dos fiscais da Vigilância Sanitária. Ponderou que, no caso de barreiras sanitárias na entrada dos municípios, é preciso discutir sua legalidade e torná-las viáveis.

Ele voltou a fazer um apelo pela conscientização das pessoas, ao lembrar que o setor do turismo reúne restaurantes, hotéis e outros estabelecimentos, que juntos são responsáveis por uma parcela significativa da economia goiana. Reiterou que o funcionamento dessas empresas – e a viabilidade de muitos empregos – dependem “do nosso comportamento”.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnologicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.