Presidente da Goiás Turismo diz ao TBC 1 que o trabalho agora é para efetivar o aeroporto de Goiânia como verdadeiramente internacional*

Fabrício Amaral confirmou que já na segunda-feira, 24, o governador Ronaldo Caiado inaugurará o saguão internacional do Aeroporto Santa Genoveva

O presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, e a apresentadora Michelle Bouson, nos estúdios da TBC

Agora que o Aeroporto Santa Genoveva, de Goiânia, ganhou status de internacional, é preciso por mãos às obras para passar da teoria à prática, com a efetivação de voos. Isso foi, em resumo, o que disse o presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, em entrevista nesta sexta-feira, 21, ao telejornal TBC 1, observando que o trabalho para essa efetivação durou aproximadamente 12 meses e foi um pouco prejudicado pela pandemia da Covid-19, por isso não se pôde fazer em um tempo menor. Informou que na segunda-feira, 24, às 9h30, o governador Ronaldo Caiado vai inaugurar o saguão internacional.

Segundo ele, o processo passou pela Polícia Federal, Receita, Infraero, Governo do Estado e era complexo, exigindo também intervenções físicas. “Daqui para a frente, é muito trabalho, porque acreditamos muito nessa estratégia de que a internacionalização do aeroporto vai trazer grandes benefícios ao Estado de Goiás”, afirmou, acrescentando que foram investidos R$ 185 mil, recurso do Governo Federal, através da Infraero, e o restante dependeu de diálogo e burocracia desenvolvidos pela Secretaria da Indústria e Comércio e da Goiás Turismo.

Para o trabalho efetivo, serão utilizados servidores públicos da Polícia Federal, Receita Federal e assim por diante. “Toda estrutura física e de pessoal está num processo só, e aí veio a palavra final da ANAC e do Ministério da Infraestrutura, que foi dada e publicada ontem, tornando o nosso aeroporto oficialmente internacional”, assinalou.

Empresas aéreas

Disse também que antes da pandemia estava dialogando com duas companhias aéreas internacionais, a TAP, portuguesa, e uma panamenha e tinha uma agenda marcada dia 4 de abril com as nacionais. O fato de o governo do Estado ter diminuído o ICMS do combustível tornou Goiás mais competitivo nessa questão e, agora, os contatos estão sendo retomados, observando que não é uma situação fácil. “É um processo longo e não só ligado ao turismo. A plataforma de desenvolvimento da aviação civil é muito importante pro nosso estado, através do agronegócio, do crescimento da indústria, o turismo pedindo passagem. A gente vai trabalhar muito para isso. Estamos felizes e motivados para essa nova missão”, explicou.

Informou também que foi feita uma pesquisa, antes da pandemia, onde verificou-se que dos voos que saem de Brasília para Portugal, via TAP, “que hoje é um dos principais destinos do mundo e porta de entrada para a Europa”, 38% das pessoas eram do Estado de Goiás. “Do ponto de vista só do lazer já justifica a nossa luta e aí temos um agronegócio forte, 60% do PIB do Estado de Goiás, as indústrias crescendo, um bom potencial de carga para exportação. Temos um leque de oportunidades. Inclui aí também a América do Sul, pouco explorada”, observou, acrescentando uma informação que considera importante, que as pessoas estão vindo da África para comprar roupa na 44, por ser Goiânia a capital da moda. “Podemos acreditar nas boas perspectivas de Goiás, com uma economia pujante, fazendo jus a essa internacionalização”, sentenciou.

Turismo e pandemia

O presidente da Goiás Turismo se mostrou cauteloso com a retomada do turismo no Estado de Goiás, que oficialmente iniciou-se em agosto e, em. Caldas Novas, no final de julho. “A gente brinca no turismo assim: não combinaram com o turista. É uma situação complexa, há a necessidade de uma maturação, através de vacinas, de confiança nos protocolos de segurança. No final de semana passado, abriu-se em Pirenópolis, Alto Paraíso e a Chapada dos Veadeiros tem voltado aos poucos, Aruanã e Araguaia, estes tiveram a temporada cancelada. É preciso ir devagar, com muita atenção”, ponderou, observando que houve episódios em Pirenópolis no final de semana com perspectiva de mais turistas do que o esperado. “Estamos confiantes e preparados para a retomada, sem perder de vista também a conscientização do turista que é fundamental”, sinalizou.

Fabrício falou que a Goiás Turismo e ele em especial têm conversado constantemente com todas as instituições privadas e públicas dos principais municípios e que na página da Goiás Turismo estão todos os protocolos municipais. Disse também que optou por não fazer um protocolo único do Estado para o turismo, em função das especificidades de cada município e ficaria melhor se fossem feitos pelas prefeituras. “Mas estamos dando todo o suporte, especialmente nos destinos mais procurados. É preciso ter consciência de que Goiás está no pico da doença e até não sair a vacina é preciso ser precavido, rígido e diligente com relação aos protocolos”, assinalou.

Confira a entrevista na íntegra:

ABC Digital