Presidente da Goiás Turismo fala sobre a retomada do setor no TBC 1

Fabrício Amaral diz que o turismo tem características regionais diferentes no estado e que um planejamento de retomada será apresentado em breve

A apresentadora Eva Taucci e o presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, nos estúdios da TBC

Um dos setores mais afetados pela paralisação das atividades econômicas em função da pandemia de coronavírus, o turismo em Goiás segue na expectativa de retomada pós-pandemia. Com exceção de Caldas Novas, cuja prefeitura autorizou uma reabertura restrita de hoteis e pousadas a partir do próximo 1º de julho, os outros municípios turísticos do estado seguem sem data de retomada.

Para falar sobre o assunto, o presidente da Agência Goiana de Turismo (Goiás Turismo), Fabrício Amaral, participou da coluna Bate-papo do Dia no telejornal TBC 1 da TV Brasil Central nesta quarta-feira, 17. Em conversa com a apresentadora Eva Taucci, Amaral disse que, por suas características, o turismo requer um cuidado redobrado de reabertura; e que o governo mantém diálogo com prefeitos e empresários na construção de um planejamento para a retomada no pós-pandemia.

“O posicionamento do Estado é o mesmo do decreto do governo que está em vigência já há 60 dias, que é pela restrição e isolamento social. Mas pela singularidade dos nossos municípios, estamos acompanhando e respeitando as decisões dos prefeitos e empresários”, disse Amaral referindo-se à abertura de Caldas Novas, por um lado, e o fechamento da Temporada do Araguaia, de outro.

Segundo o presidente da Goiás Turismo, isso se dá em função das características de cada município e do nível de organização e planejamento do turismo em cada lugar. “No caso do Araguaia há um decreto específico cancelando a temporada. E estamos muito confortáveis com essa decisão, porque estamos acompanhados do Ministério Público Federal, Estadual e das prefeituras, que entendem que a região não tem nenhuma estrutura [de saúde] que suporte a reabertura durante a pandemia”, explicou.

Fabrício Amaral terminou falando que, mesmo com a reabertura dos destinos turísticos, os próximos meses serão de baixa lotação em função do próprio comportamento de retração do consumidor. Ele informa que a Goiás Turismo já trabalha num planejamento de reabertura do turismo em Goiás para o pós-pandemia que será apresentado em breve. 

“Turismo é engrenagem, você não abre da noite para o dia. E planejamento não significa reabertura [imediata], as pessoas precisam entender isso. A saúde de todos em primeiro lugar, mas o diálogo com todos os envolvidos para essa retomada precisa acontecer sempre”, concluiu. 

Confira a entrevista na íntegra:

ABC Digital