Prefeitura de Goiânia começa a distribuir cestas básicas para famílias em vulnerabilidade social

Secretário Municipal de Assistência Social, Mizair Lemes Jr, informou que serão atendidas 53 mil solicitações que foram cadastradas em suas unidades

A Secretaria Municipal de Assistência Social de Goiânia começou a entregar, esta semana, cestas básicas às famílias em situação de vulnerabilidade social na capital, que se cadastraram para receber o benefício durante este período de pandemia da Covid-19. Para evitar aglomerações, a cestas estão sendo entregues nas unidades onde as pessoas se cadastraram. O titular da Pasta, Mizair Lemes Júnior, concedeu entrevista nesta quarta-feira, 17, ao radiojornal O Mundo em sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM, oportunidade em que detalhou como está sendo feita a distribuição.

Na conversa com os apresentadores Lucas Nogueira e Marcelo Cabral, Mizair informou que a Secretaria cadastrou 53 mil solicitações. No início desta semana, iniciou a entrega das cestas básicas de forma agendada e escalonada. As pessoas que fizeram a solicitação recebem uma ligação, com pelo menos dois dias de antecedência, indicando o dia e o horário para retirar o benefício. Nos dois primeiros dias da entrega, na última segunda-feira e ontem, informou, ocorreu tudo dentro do planejado.

De acordo com o secretário municipal de Assistência Social de Goiânia, de hoje até a próxima sexta-feira, a distribuição dos alimentos básicos ocorre no Setor Vera Cruz, de onde foram recebidas mais de 3 mil solicitações. Ele estimou que até sexta-feira, 19, a Secretaria esteja completando a entrega de 5 mil cestas básicas. Está programado acelerar esse trabalho nos próximos dias, para atender a demanda solicitada de 53 mil cestas, podendo chegar até 100 mil unidades. 

Benefício

Mizair explicou que, caso a pessoa que se cadastrou não possa ir pessoalmente buscar o benefício, seja por estar reclusa, em quarentena, ou por ter a mobilidade reduzida, pode indicar um filho ou neto, desde que munido do documento de identidade de quem se cadastrou. No controle da Secretaria, a pessoa vai assinar e retirar a cesta. Explicou que o trabalho de distribuição está sendo realizado em conjunto com a Secretaria Municipal de Direitos Humanos. Conta também com a parceria do Tribunal de Contas (dos Municípios), do Ministério Público Estadual (MP-GO) e da Defensoria Pública do Estado.

O secretário acrescentou que a Pasta tem condições de adquirir até 100 mil cestas, sendo que a aquisição de 75 mil já foi contratada, pelo menor preço. Trata-se de uma cesta básica bem completa, que contém 16 itens. Afirmou que, após a entrega das 53 mil solicitadas, será realizado um novo diagnóstico social para definir se será feita uma segunda remessa para os mesmos cadastrados, ou será aberta a entrega para outras pessoas que porventura não foram beneficiadas e também estão precisando. Tudo vai depender do tempo e da necessidade diante da prorrogação da paralisação das atividades de alguns setores, em função do novo coronavírus, disse.

Quem não se cadastrou e está passando necessidade, pode se dirigir a uma unidade do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) ou Núcleo de Assistência Social (NAS) próxima a sua residência. Nesses locais, assistentes sociais e psicólogas fazem o diagnóstico da situação da pessoa. 

“Neste momento, estamos focados em entregar (as cestas básicas) para aqueles que se inscreveram. Quando terminarmos a distribuição das 53 mil solicitadas, vamos voltar a analisar a situação de cada região, de cada família, para que possamos dar um amparo às pessoas neste momento de dificuldade”, garantiu Mizair Lemes Jr.

ABC Digital