Prefeitura de Goiânia anuncia rigor na fiscalização para prevenir Covid-19 no feriadão

Aglomerações, festas clandestinas, quebra dos protocolos de saúde e descumprimento do decreto municipal com normas de prevenção serão alvo de fiscalização e punição dos responsáveis

O diretor da Vigilância Sanitária da Prefeitura de Goiânia, Jadson Tavares de Oliveira, disse que as equipes de fiscalização estão preparadas e começam a intensificar desde hoje o trabalho, com o objetivo de prevenir, evitar e combater o desrespeito às normas de saúde, a fim de evitar o aumento da disseminação da Covid-19. Em entrevista ao programa O Mundo em Sua Casa, das rádios Brasil Central AM e RBC FM, nesta quarta-feira, 2, ele enfatizou que festas clandestinas, aglomerações em bares, funcionamento de boates e outros eventos similares não serão tolerados, com punição dos organizadores e dos participantes. Também disse que os fiscais estão atentos aos horários de funcionamento estabelecidos para o comércio e os serviços, bem como o cumprimento dos protocolos estabelecidos no decreto municipal.

“Os maiores problemas verificados nos fins de semana e principalmente em feriados prolongados são a insistência das boates em organizar eventos, quando se sabe que o seu funcionamento está proibido, assim como as festas clandestinas, organizadas em chácaras e também na cidade, sem qualquer observância dos protocolos de saúde”, asseverou Jadson de Oliveira. Conforme disse, nesses eventos ocorre consumo desregrado de bebidas, pessoas não usam máscaras, não respeitam distanciamento, ouvem som com volume elevado e perdem a noção do perigo, contribuindo para o aumento da contaminação.

Reforço na fiscalização

O diretor da Vigilância Sanitária Municipal informou também que o trabalho das equipes de fiscalização tem apoio efetivo da Polícia Militar e da Guarda Municipal, por meio de seus serviços de inteligência. Desse modo, redes sociais são monitoradas para verificar organização de festas, shows e quaisquer outros eventos. Após verificação, se comprovada a irregularidade, os fiscais agem para impedir a atividade e podem aplicar multas aos organizadores. Ele ressaltou também que, independente de ser feriado ou não, a fiscalização atua de modo contínuo para verificar o cumprimento de horários pelo comércio e serviços e a adoção das medidas sanitárias.

Jadson Oliveira explicou que o decreto municipal permite eventos com até 75 pessoas. São eventos corporativos (simpósios, congressos, seminários) e eventos sociais (casamentos, batizados, etc), porém, em ambos os casos, é obrigatório cumprir os protocolos sanitários como uso de máscara, distanciamento adequado, desinfecção de mãos e que todas as pessoas estejam sentadas.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.