Prefeito de Jataí destaca legado político e administrativo de Maguito Vilela

Prefeito licenciado de Goiânia e ex-governador perde a vida após longo período de internação em São Paulo para tratamento da Covid-19

Após lamentar a morte do prefeito licenciado de Goiânia e ex-governador Maguito Vilela, o prefeito de Jataí, Humberto Machado, disse que ele deixa um legado valoroso para Goiás, como político conciliador, como administrador competente e como pessoa simpática no relacionamento com todos os cidadãos. Ele fez essas considerações hoje, 13, em entrevista ao programa O Mundo em Sua Casa, das rádios Brasil Central AM e RBC FM, acrescentando que toda a população goiana desejava a recuperação de Maguito, o que infelizmente não ocorreu.

Humberto Machado adiantou alguns detalhes de como estão os preparativos para o velório e o sepultamento, que deve ocorrer ainda hoje no cemitério São Miguel, em Jataí, cidade natal do ex-governador. “Vamos isolar um trecho de rua, colocar tendas e permitir que a população se despeça do nosso amigo e conterrâneo. Será um local aberto, ventilado e vamos tomar os cuidados para que não haja aglomeração, seguindo todas as recomendações sanitárias”, disse. O prefeito observou que, na realidade, Maguito não morreu pela Covid-19, até porque a doença já tinha sido debelada, mas foi vítima das consequências dela, principalmente pelo comprometimento dos pulmões.

Comoção

Conforme Humberto Machado, a comoção em Jataí é notória, principalmente porque a história política de Maguito começou ali, como vereador. Depois foi eleito deputado estadual, deputado federal, governador de Goiás, senador e prefeito de Aparecida de Goiânia por dois mandatos. “O grande trabalho que ele realizou em Aparecida certamente levou a população goiana a elegê-lo prefeito da Capital”, reforçou.

Antes de ser levado para Jataí, o corpo de Maguito Vilela deve passar por Goiânia, trasladado de São Paulo, após os trâmites burocráticos que a situação exige. No Cemitério São Miguel, ele vai ocupar uma das gavetas do jazigo da família, onde já estão o pai, a mãe e duas irmãs que no ano passado também perderam a vida em função da Covid-19. Maguito Vilela passa para a história aos 71 anos, prestes a completar 72. Deixa viúva a empresária Flávia Teles, quatro filhos (dentre eles o presidente do MDB de Goiás, Daniel Vilela) e quatro netos.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.