Postos voltam a reajustar preço dos combustíveis

Planejador financeiro, Maurício Vono atribuiu a alta dos preços ao dólar e sugeriu ao consumidor rever seus gastos com o carro próprio

O consumidor goiano amanheceu nesta quinta-feira (15) observando mais um reajuste de preço nas bombas de combustíveis. Na capital, os novos valores mostram a gasolina se aproximando de R$ 5 enquanto que o etanol passa dos R$ 3 o litro.

Para explicar o novo aumento e dar dicas aos consumidores de como remediar mais uma alta de preço, a coluna Bate-papo do Dia do telejornal TBC1 recebeu o planejador financeiro Maurício Vono. Na primeira parte da entrevista com a apresentadora Michelle Bouson, Vono atribuiu o reajuste à alta do dólar.

“Com a alta do dólar, causada pela pandemia, as pessoas acabam indo para uma moeda mais forte, resgata dinheiro de investimento, isso tudo mexe com o mercado. E ainda há esse cenário. Hoje na Europa a Covid segue pressionando os governos a fazerem um novo lockdown. Isso tudo dificulta o cenário para baixar a moeda e o real ainda continua desvalorizado”, comentou.

Confira a primeira parte da entrevista:

Sindiposto

A segunda parte da entrevista sobre a alta dos combustíveis trouxe um comentário do presidente do Sindposto, Márcio Andrade. Ele justificou o reajuste dizendo que os donos de postos não conseguiram segurar os sucessivos aumentos nas distribuidoras, chegando agora a repassar a alta para o consumidor.

Maurício Vono sugeriu que o consumidor reveja seus gastos com transporte para fazer frente à elevação dos preços dos combustíveis. Segundo ele, cada consumidor deve analisar seu perfil avaliando se vale a pena ou não ter carro próprio ou se é possível apelar a outras formas de descolamento, como o uso de transporte por aplicativo.

Confira a segunda parte da entrevista:

ABC Digital