População deve se prevenir para pancadas de chuvas na Capital e interior

Distribuição das precipitações está irregular, com pancadas violentas em determinados locais e pouco volume em outros; previsão é de novos temporais esta semana 

Os próximos dias deste mês deverão ser marcados por fortes pancadas de chuvas, acompanhadas de rajadas de vento, trovoada e raios. O alerta é do gerente do Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas do Estado de Goiás (Cimehgo), André Amorim. Em entrevista no programa O Mundo em Sua Casa, das rádios Brasil Central AM e RBC FM, ele falou também da irregularidade das chuvas nos primeiros dias de janeiro. “Tivemos duas chuvas muito fortes em 1º de janeiro e agora dia 9, causando estragos e transtornos para os moradores. Foram chuvas irregulares, chegando a 70 milímetros em alguns locais e apenas 15 milímetros em outros”, explicou.

André Amorim afirmou também que para esta semana estão previstos novos temporais, situação que é típica do verão. Segundo ele, a combinação de calor e umidade favorece a formação de nuvens de tempestade, com previsão de fortes chuvas tanto em Goiânia quanto no interior. “De forma didática, podemos dizer que a qualidade das chuvas não é boa neste ano. Isso significa que há fortes temporais em determinadas regiões e pouca precipitação em outras”, afirma ele, acrescentando que no mesmo período de 2020 a distribuição das chuvas ocorreu de forma mais equilibrada em todas as regiões.

Barragens

O gerente do Cimehgo também alertou para os cuidados que produtores rurais e empreendimentos que possuem barragens precisam ter neste período. “Uma represa que já está cheia, se receber um temporal de 70 milímetros, certamente vai transbordar e causar transtornos”, disse. Ele também explicou que o ideal neste momento é controlar a vazão e manter os reservatórios com volume mais baixo para evitar problemas no caso de ocorrer grandes precipitações.

Órgãos como a Secretaria de Estado de Meio Ambiente, a Defesa Civil Estadual, a Defesa Civil de Goiânia e a Defesa Civil de Aparecida de Goiás, em conjunto com o Cimehgo, estão realizando um amplo trabalho de monitoramento e controle das barragens para prevenir o que ocorreu em 2020, quando houve diversos rompimentos. Amorim disse que o tema vem sendo tratado desde o mês de outubro do ano passando, com participação efetiva de todos os entes envolvidos e, no momento, é feita avaliação permanente da situação das represas.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.