Parlamentares goianos avaliam anulação de processos contra Lula

Consequências do ato monocrático do ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, foram analisadas no programa Boa Noite Goiás. Ambos disseram ter esperança de reversão da decisão no plenário

Os deputados federal, major Vitor Hugo, e estadual, Bruno Peixoto, manifestaram posições semelhantes em relação à decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal que anulou os processos condenatórios do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na operação Lava Jato, argumentando que a medida foi tardia, fora de contexto e faz crescer na população o sentimento de impunidade da corrupção no Brasil. A questão foi tratada na quarta-feira, 10, durante o programa Boa Noite Goiás, apresentado pelo jornalista Paulo Beringhs.

O deputado major Vitor Hugo asseverou que o ato de Fachin joga por terra o relevante trabalho realizado por várias instâncias do Judiciário, como a 13ª Vara Criminal de Curitiba, o Tribunal Regional Federal do Rio Grande do Sul e o próprio Supremo Tribunal Federal, que investigou, buscou provas, comprovou os atos de corrupção, julgou e aplicou as penas cabíveis. “A decisão do ministro, embora não signifique a absolvição do réu e nem a eliminação dos crimes, terá um custo muito elevado para a sociedade e o que é pior, pode levar à prescrição dos crimes, repassando à sociedade a ideia de que a corrupção no Brasil compensa”, enfatizou.

O deputado estadual Bruno Peixoto observou que, como advogado, entende que pode ter havido exageros e até equívocos ao longo do trabalho da força tarefa da Lava Jato, mas ao invés de questionar esses possíveis desvios ao longo das investigações, no momento adequado, o ministro do Supremo decide tardiamente anular todas os processos. O parlamentar afirma que o Supremo errou na decisão monocrática de Fachin, mas ainda poderá reparar o erro ao analisar a questão em plenário. “É até possível mudar este ao aquele item caracterizado como desvio, mas nunca anular tudo o que foi feito com recursos públicos, a um custo altíssimo, especialmente pelo bom trabalho e resultados da Operação Lava Jato no combate à corrupção no País”, observou.

Política proselitista

Sobre as declarações do ex-presidente Lula após a anulação dos processos, major Vitor Hugo classifica como política proselitista. “O ex-presidente está no papel dele, aproveitando para se capitalizar politicamente”, afirmou. Acrescentou também que ao contrário do que Lula diz, quando afirma ter sido vítima do maior erro jurídico dos últimos 500 anos, o parlamentar reforça que o povo brasileiro é que foi vítima dos desmandos administrativos e da corrupção praticada pela gestão petista, com Lula à frente do Governo. “Todos temos conhecimento dos fatos, da compra de votos no Congresso à custa de propinas e dos prejuízos causados à nação nos 13 anos em que o petismo esteve no poder”, asseverou.

Ainda durante o programa Boa Noite Goiás, os deputados falaram de assuntos relevantes de Goiás e da esfera federal. As medidas de combate à pandemia, tanto no âmbito do Estado quanto pelo Governo Federal foram destacadas pelos parlamentares. O major Vitor Hugo enumerou as inúmeras ações adotadas pelo Governo e também pelo Congresso Nacional, com o objetivo de enfrentar a Covid-19, incluindo a liberação de recursos para Estados e municípios, a ajuda emergencial às pessoas em situação de vulnerabilidade e mais recentemente o estabelecimento e execução do Plano Nacional de Vacinação.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.