Para Saúde, dificuldade de provar comorbidade motiva baixa procura por vacina

Secretaria Municipal de Saúde da capital ampliou para 45 anos a faixa etária de quem pode receber as doses nos grupos prioritários

Para a secretária-executiva da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS), Luana Ribeiro, a baixa procura pela vacina contra Covid-19 entre os grupos prioritários na capital pode estar relacionada à dificuldade de as pessoas documentarem a comorbidade que possuem. Ela participou nesta quarta-feira, 12, do radiojornal O Mundo Em Sua Casa falando sobre o assunto.

“O que as pessoas alegam para nós é a questão da comprovação. E o que orientamos é que elas precisam buscar quem já os acompanham, porque são comorbidades às vezes crônicas e aí fica fácil de a gente fazer o relatório conforme os critérios do Ministério da Saúde”, disse a gestora da Saúde da capital.

Para garantir que todas as doses destinadas a esses públicos sejam utilizadas, a SMS tem ampliado a faixa etária de quem pode receber a vacina. A partir desta quarta-feira, 12, podem se vacinar pessoas com comorbidades com idade a partir de 45 anos.

Sempre com agendamento por meio do aplicativo, seguem sendo vacinadas pessoas de outros grupos prioritários nesta fase, como grávidas e mães de recém-nascidos (puérperas), pessoas com síndrome de down, doença renal crônica, com deficiência permanente, entre outras. A SMS mantém 22 pontos de vacinação na cidade.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.