Operação Resguardo teve mais de 1.800 investigações de crimes contra a mulher

Delegada da Polícia Civil goiana, Paula Meotti considerou positivos os resultados alcançados em todo o país, onde foram presas 235 pessoas e realizadas 1.233 medidas protetivas

Desde o início deste ano está em curso no país a Operação Resguardo, sob a coordenação do Ministério da Justiça e Segurança Pública e que foi reforçada na última semana, para combate aos crimes de violência contra a mulher. Entrevistada hoje pelo programa Segundo Tempo, das rádios Brasil Central AM e RBC FM, a delegada Paula Meotti, da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher em Goiás, disse que foram concluídas mais de 1800 investigações nessa que considerou a maior operação deflagrada em nosso país para combate à violência doméstica, pois envolveu os 26 estados mais o Distrito Federal, com resultados favoráveis tanto nacionalmente, como em Goiás.

Segundo ela, foram presas 235 pessoas, cumpridos 17 mandados de busca e apreensão, encaminhadas ao poder judiciário de 1.233 medidas protetivas de vítimas, atendidas mais de 3 mil mulheres vítimas de violência, apreendidas 141 armas e também munições, e concluídas mais de 1800 investigações policiais, que foram remetidas ao poder judiciário. “Esses números expressivos nos deixam muito felizes com o resultado”, assinalou.

Paula observou que, em função da pandemia, no ano passado houve uma oscilação na quantidade de casos: “Em alguns meses tivemos aumento e em outros diminuição de ocorrência de violência contra a mulher. Observamos que os relacionamentos que já eram abusivos tenderam a ter um acréscimo durante a pandemia”. Informou que, para denunciar a violência, a mulher pode recorrer aos números 197 e 180, além do site da Polícia Civil (www.policiacivil.go.gov.br), podendo fazer também a denúncia on line, que se apresenta de forma fácil e autoexplicativa e ainda pelo aplicativo Goiás Seguro.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.