Novo secretário de Trânsito de Goiânia recomenda atenção redobrada aos motoristas que trafegarem por vias ainda não sinalizadas

Em entrevista à RBC, Horácio Melo disse que está buscando resolver os contratos emergenciais para fazer a sinalização, mas que existe um tempo adequado para isso acontecer

O novo secretário municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade de Goiânia, Horário Melo, recomendou, nesta quarta-feira, 12, cuidado redobrado aos motoristas que trafegarem por vias da capital que acabaram de ser recapeadas e ainda não receberam sinalização. Ele foi o entrevistado do programa O Mundo em sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM.

Horário informou que está buscando resolver os contratos emergenciais para que o trabalho de sinalização possa acompanhar o final da obra. Entretanto, explicou ser necessário pelo menos 14 dias para que ocorra o “tempo de cura” do asfalto e a tinta não seja sugada pela pista, pois se a sinalização for feita de forma inadequada isso significaria “desperdício de dinheiro público”.

Em alguns casos, ponderou o secretário, o trabalho de sinalizar as vias poderá demorar um pouco mais porque “o prefeito é muito dinâmico e está asfaltando (de novo) a cidade toda de uma só vez”. Horário Melo foi entrevistado por Marcelo Cabral e Paulo Henrique Santos.

Transtornos temporários

Ele pediu a compreensão dos motoristas goianienses nesse momento de tantas obras na capital. Lembrou que no mundo inteiro não há como fazer intervenção viária sem transtornos temporários. Mas depois (da obra concluída) a pista fica boa e virá um conforto perceptível, afirmou.

“Goiânia nunca teve tantas obras encaminhadas e para serem inauguradas”, destacou. Disse ter certeza que, daqui a poucos meses, os goianienses vão perceber uma melhora muito grande na fluidez dos veículos. E aí será necessário debater outros assuntos, pois quando aumenta a fluidez crescem também a velocidade e os riscos de acidentes de trânsito.

Indagado sobre a obra do BRT Norte-Sul (sigla em inglês para ônibus de transporte rápido) estar se aproximando de seu ponto crítico, a Praça Cívica, declarou que vai se reunir com os representantes de outras secretarias municipais para buscar minimizar os transtornos para o cidadão que passar pelo Centro, região de alto adensamento populacional. Argumentou que o BRT, quando concluído, vai contribuir para retirar de circulação muitos veículos e melhorar a fluidez do trânsito da capital em todos os sentidos.

Sobre as multas de trânsito, defendeu o direito do cidadão de recorrer e garantiu que não adota a indústria da multa como conceito, mas que é preciso convencer as pessoas sobre a importância do respeito à vida no trânsito. Adiantou ainda que vai estudar, com a Junta Administrativa de Recursos de Infração (Jari) municipal, uma forma de cancelar, de forma automática, as multas injustas via sistema de informática, direto da casa do cidadão.

ABC Digital