Nova remessa de vacina contra a Covid-19 já é distribuída aos municípios

Superintendente da Secretaria Estadual de Saúde, Sandro Rodrigues Batista confirmou a regularidade da vacinação com a chegada semanal de doses da vacina, dentro do Plano Nacional de Imunização

A remessa de 119,2 mil doses de vacinas contra a Covid-19 que o Governo de Goiás recebeu nesta sexta-feira, 26, será encaminhada até amanhã às 18 regionais de Saúde, para distribuição aos municípios goianos. Elas foram enviadas pelo Ministério da Saúde dentro do Plano Nacional de Imunização (PNI). Em entrevista hoje ao Jornal Brasil Central, superintendente de Atenção Integral à Saúde da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Sandro Rodrigues Batista, reafirmou que o processo de distribuição de vacinas continua da mesma forma. “Chegam aqui para a Secretaria Estadual de Saúde, são conferidas e distribuídas paras as 18 regionais de saúde e vão daí aos municípios, ficando a cargo de cada Secretaria Municipal de Saúde a aplicação. Tudo isso baseado em critérios pactuados entre os organismos de saúde municipais, estaduais e federais”, explicou.

Segundo ele, para a distribuição há o respeito à proporcionalidade de pessoas, de faixa etária, tudo isso obedecendo ao que foi definido em planilha. Confirmou que a lógica daqui para a frente é a de que toda semana cheguem vacinas. “Depois que tivemos a regularização disso, tanto via Butantan, como também a Escola Nacional de Saúde Pública, a Fiocruz, esse processo passou a ser mais contínuo. Isso tem sido uma rotina semanal. E à medida que elas chegam vão sendo distribuídas, conforme toda pactuação existente para a vacinação”, observou.

Vacina é a solução

Sandro foi mais uma vez categórico ao enfatizar que a grande lógica é a de controlar a Covid-19 é por meio da vacinação, a única solução que se tem, mas que até isso seja conseguido a população precisa se prevenir da forma como já está estabelecido, obedecendo as medidas de restrição, usando máscara e evitando a aglomeração de pessoas.

“Eu não posso balizar o meu comportamento baseado na existência de leito. É uma doença séria, com grande percentual de gravidade. 50% das pessoas que vão para a UTI podem vir a óbito. Não é brincadeira. Os regramentos existem porque têm um fundamento científico em relação a isso. A gente precisa reduzir transmissão, até que a gente tenha disponibilidade da vacina para grande parte da população ou da população como um todo”, assinalou.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.