No TBC 1, consultor dá dicas para conseguir emprego na pandemia

Para Eduardo Dehira, trabalhador precisa se apresentar de forma polivalente e se atualizar fazendo cursos pela internet

O consultor Eduardo Dehira e a apresentadora Michelle Bouson, nos estúdios da TBC

Com a retomada gradativa das atividades econômicas durante a pandemia de coronavírus, cresce também o número de pessoas que buscam por um emprego ou recolocação profissional. Segundo pesquisa semanal da PNAD Covid do IBGE, na última semana de agosto, o número de pessoas à procura de trabalho aumentou em cerca de 1,1 milhão de pessoas. O universo total de desempregados no país segue alto, com 13,7 milhões de pessoas, o que significa 14,3% da população economicamente ativa.

Com o mercado de trabalho restrito, para se dar bem nessa busca, é preciso se apresentar de forma mais polivalente, explorando mais de uma aptidão ao trabalho. É o que disse ao telejornal TBC 1 o consultor Eduardo Dehira, diretor do Instituto de Desenvolvimento Humano Integrado. Ele foi entrevistado na TV Brasil Central nesta terça-feira, 22, pela jornalista Michelle Bouson para falar do assunto.

Segundo Dehira, o mercado está cada vez mais exigente para novas contratações, especialmente porque as empresas estão retomando suas atividades bem abaixo de sua capacidade, com a consequente redução de pessoal. “O mercado está selecionando de forma bem mais veemente. Onde eu tinha 10 pessoas fazendo um trabalho, agora eu vou ter cinco. Então, o que tenho dito para as pessoas: aprenda a ser mais generalista. Quando for buscar sua recolocação, aprenda a fazer de um tudo. Se você é especialista em uma coisa, aprenda a ser especialista em duas, três, quatro coisas”, disse o consultor.

Outra dica dada por Eduardo Dehira foi se atualizar com as novas ferramentas tecnológicas e buscar qualificação online durante a pandemia, realizando cursos pela internet em casa mesmo. “Se você ficar parado achando que a pandemia vai acabar no dia 1º de janeiro, não vai, vai acabar quando tivermos vacina. E até lá, sua vida não pode parar”, observou o consultor.

Confira a entrevista completa:

ABC Digital