No TBC 1, advogada fala sobre a dificuldade de obter o auxílio emergencial do governo

Gabriela Falchi chama atenção para o volume inesperado de pedidos, o que atrasa a operação de socorro tanto na internet quanto na boca do caixa

A apresentadora Eva Taucci e a a advogada trabalhista Gabriela Falchi, nos estúdios da TBC

Mensagem de “cadastro em análise” em modo demorado, aplicativo “Caixa Tem” sem acesso, filas quilométricas na porta de agências bancárias sem a certeza de levar o dinheiro para casa. Esses são alguns dos problemas enfrentados diariamente pela população beneficiária do auxílio emergencial de R$ 600 do governo federal.

Para falar do assunto e tirar dúvidas dos telespectadores, a apresentadora Eva Taucci recebeu no TBC 1 desta quarta-feira, 6, a advogada trabalhista Gabriela Falchi. Segundo ela, o volume de acessos aos sites e aplicativos da Caixa Econômica Federal, a enorme quantidade de análise demandada e a dificuldade do banco em operacionalizar os saques, já que trabalha com um número reduzido de servidores em função da pandemia, explicariam a lentidão.

Site e aplicativo travados

“O governo pensava que havia uma quantidade de trabalhadores informais no país, mas o que se revelou é um contingente muito maior. Isso explica sites e aplicativos da Caixa travados, além do grande número de pessoas nas agências, inclusive de gente que não está lá por causa do auxílio”, comentou sobre os atrasos nos cadastros e operações de pagamento do auxílio.

Respondendo a dúvidas de telespectadores, Gabriela Falchi detalhou os requisitos para ter direito ao auxílio, que contempla trabalhadores informais ou autônomos que perderam suas fontes de renda durante a crise econômica provocada pela pandemia. Ao final, ela respondeu a dúvidas também sobre saques do FGTS para trabalhadores demitidos durante a pandemia. 

A íntegra da entrevista está disponível abaixo:

ABC Digital