Não existe uma única estratégia no mundo para enfrentar o novo coronavírus, afirma Adriano Rocha Lima

Em entrevista à RBC, o secretário-chefe geral da Governadoria defendeu a união do Governo do Estado com os demais segmentos da sociedade para que Goiás possa sair mais rapidamente da pandemia

Não existe uma única estratégia no mundo para enfrentar o novo coronavírus. Com o apoio da Universidade Federal de Goiás (UFG), o Governo do Estado estuda outras alternativas ao sistema adotado de isolamento intermitente de 14 por 14 dias, com base em dados sobre a evolução da pandemia em Goiás – número de casos, leitos de UTI ocupados e quantidade de óbitos. A declaração é do secretário-chefe geral da Governadoria, Adriano Rocha Lima. 

Adriano concedeu entrevista, nesta quarta-feira, 8, ao programa O Mundo em sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM, apresentado por Emmerson Kran e Paulo Henrique Santos. Ele comentou a reunião, ocorrida ontem, do governador Ronaldo Caiado com lideranças empresariais. Explicou que o Governo tem um processo contínuo de revisão (das medidas de enfrentamento à pandemia). E adiantou que já está sendo discutido, de forma antecipada, como ficará o período seguinte aos 14 dias de abertura das atividades, previsto para começar na próxima terça-feira, 14.

Lembrou que cada segmento tem suas especificidades – restaurantes e bares, comércio, shoppings, construção civil, indústrias. E defendeu a necessidade de garantir que cada uma das atividades adote um protocolo rígido para o período de abertura, que começa na próxima terça-feira. 

Diálogo

“A partir desse monitoramento e desse diálogo, em reuniões duas a três vezes por semana que se combinou de fazer, vá se fazendo os ajustes necessários e prevendo como serão os 14 dias seguintes, depois dos 14 dias de abertura, sempre numa contínua troca de informação entre todos os segmentos da sociedade envolvidos”, ponderou.

Indagado sobre a decisão do prefeito Iris Rezende de buscar outros ajustes para o isolamento social em Goiânia, Adriano Rocha Lima afirmou que Ronaldo Caiado e Iris têm “um diálogo aberto, de forma contínua, há muito tempo, inclusive (a respeito) de outros temas, fora a pandemia”. 

Ele considerou “natural” que a Prefeitura da capital tenha determinada estratégia no combate à pandemia, baseada no conhecimento específico dela a respeito da cidade de Goiânia; e que vá discutir, junto com o governador, em cima da estratégia proposta para o Estado todo, para ver se deve seguir no mesmo caminho, ou algum ajuste deverá ser feito. Dessa mesma forma, destacou, o Governo do Estado conversa com os empresários, com outros segmentos da sociedade, e com os prefeitos, não só o da capital, mas com os gestores dos outros 245 municípios goianos. 

O secretário-chefe geral da Governadoria lembrou que a pandemia não beneficia nenhum setor, pelo contrário, “todos nós estamos perdendo”. Ele defendeu a união e o enfrentamento conjunto para “conseguirmos ser mais eficientes e eficazes no combate à pandemia e podermos mais rapidamente sair dela”.

Epicentro

Adriano comentou ainda o fato de o Centro-Oeste ser atualmente o epicentro da pandemia de Covid-19 no Brasil. Lembrou que a região, com a liderança de Goiás, conseguiu um controle mais eficiente no início da pandemia, em março e abril últimos. Isso permitiu evitar mais de 3 mil mortes no Estado e criar determinado colchão para que os hospitais goianos fossem ampliados como foram. Outros Estados não tiveram esse enfrentamento no início, como Amazonas e Ceará, e passaram por momentos difíceis, onde o sistema de saúde entrou em colapso, e já começaram o período de declínio da pandemia. 

Goiás ainda está na fase ascendente, justamente por ter controlado melhor essa pandemia no início, argumentou Adriano Rocha Lima. Alertou que, se o Estado não continuar no controle eficiente, existe o risco de poder gerar algum colapso no sistema de saúde, o que não é desejável por ninguém. “Este é o objetivo: evitar que o sistema de saúde entre em colapso e que tenhamos o mínimo de mortes e agravamentos (da Covid-19) possível”, enfatizou.

Matéria na TBC

O telejornal TBC 1 desta quarta-feira, 8, também falou sobre o apoio de lideranças empresariais à política de enfrentamento da Covid-19 do Governo de Goiás. A repórter Danuza Azevedo conversou com o secretário-chefe geral da Governadoria, Adriano Rocha Lima. Confira a matéria na íntegra:

ABC Digital