Números da Segurança são bons, mas podem melhorar, diz Rodney Miranda

Titular da Secretaria de Segurança Pública foca gestão em pontos-chaves defendidos pelo governador Ronaldo Caiado, que são a redução dos crimes violentos, combate à violência no campo e combate à corrupção

Mesmo admitindo que houve avanços significativos na redução da violência em todas as suas formas e aumento da sensação de segurança pela sociedade nos últimos dois anos, o secretário de Estado da Segurança Pública, Rodney Miranda, enfatizou que o momento ainda não é de comemoração. “Os números positivos traduzem o resultado das ações, indicando o grau de acerto. Contudo, só podemos comemorar mesmo quando alcançarmos índices de criminalidade próximos de zero”, afirmou ele durante entrevista ao programa Boa Noite Goiás da TV Brasil Central na noite de quinta-feira, 18.

Conforme Rodney Miranda, o balanço dos últimos dois anos é bastante promissor, sem ocorrência de casos de novo cangaço, redução significativa dos roubos a bancos, queda elevada dos furtos e roubos de veículos e melhoria em todos os índices acompanhados pelo Observatório da Segurança Pública em Goiás. Balanço divulgado no início deste ano mostrou queda de 10,4% nos crimes violentos letais intencionais; 9% em homicídios; 22% de latrocínios e 39% em crimes de lesão corporal seguida de morte. O secretário lembrou que até 2018, eram registrados de 30 a 40 furtos/roubos de veículos por dia. Atualmente a média caiu para três a quatro carros por dia, sendo que em muitos dias seguidos não ocorrem casos.

Rodney Miranda adiantou também que o trabalho firme e sério na área de segurança pública vai continuar. “Temos orientação do governador Ronaldo Caiado e determinação própria de atuar com o objetivo de devolver Goiás aos goianos e vamos trabalhar para manter o título já conquistado por Goiás de Estado com menor índice de violência no País”, observou o secretário. Também garantiu que vai fortalecer o que está funcionando, corrigir o que for preciso e atuar fortemente na organização e controle do sistema prisional, de modo a combater a ação de condenados que se unem em facções, dão ordens e comandam crimes de dentro dos presídios.

Confrontos

Indagado sobre os confrontos que ocorrem entre as forças policiais e criminosos, com registro de várias mortes, Rodney Miranda respondeu que a polícia não procura confronto, centrando sua atuação na investigação dos fatos, prisão dos criminosos e encaminhamento deles à Justiça. Ressaltou, contudo, que as forças policiais estão preparadas para enfrentar e responder aos confrontos, com muita firmeza, responsabilidade e dentro dos parâmetros legais. “Trabalhamos para não perder policiais”, asseverou.

Rodney Miranda foi questionado também sobre se é favorável à liberação para aquisição e porte de armas pela população, ao que respondeu positivamente. Deixou claro, no entanto, que o cidadão precisa comprovar que sabe manejar a arma, que tem equilíbrio psicológico e capacidade para fazer uso correto da mesma. “O que estamos vendo agora é a aplicação da lei que regula a questão das armas. Até 2018 existia a lei, mas as pessoas não podiam comprar e portar armas mesmo após comprovar sua idoneidade. Agora isso é possível”, ponderou o secretário. Ele comentou também que mesmo após a liberação não há aumento do número de crimes, especialmente entre as pessoas de bem.

Ao longo do programa, apresentando pelo jornalista Paulo Beringhs, Rodney Miranda foi sabatinado sobre os temas mais diversos, inclusive pelos telespectadores que enviaram várias perguntas. Foram abordagens sobre audiência de custódia, concurso público na Polícia Militar, ressocialização de presos, pesquisa de indicadores do grau de segurança das pessoas, resultados alcançados com ações de segurança no meio rural, ações de combate à corrupção e até mesmo sobre crimes específicos, como os homicídios do agente penitenciário temporário Elias de Souza Silva e sua esposa, executados esta semana.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.