Mutirão entrega escrituras, cartões do Aluguel Social e promove atendimento jurídico

Cerca de 2 mil famílias foram beneficiadas com entrega de escrituras de suas casas ou receberam cartões do programa Pra Ter Onde Morar - Aluguel Social. A Defensoria Pública de Goiás também realizou atendimentos e orientações jurídicos gratuitas

Destaque durante toda a programação do fim de semana da TV Brasil Central, o 4º Mutirão Governo de Goiás, na região Leste de Goiânia, bateu recordes. O evento realizou 123 mil atendimentos nas mais diversas áreas, o que representa 3 mil a mais que a edição anterior. Reportagem exibida no Jornal Brasil Central desta de segunda-feira (11), enfatizou o trabalho de assistência social da Agência Goiana de Habitação (Agehab). Cerca de 2 mil famílias foram atendidas para receber o cartão do programa Pra Ter Onde Morar - Aluguel Social. Outras mil foram foram chamadas para a entrega ou coleta de assinaturas das escrituras de suas residências. Com o Mutirão, o aluguel social chega a marca de 13 mil beneficiados, em 43 municípios goianos. 

A vice-presidente da Agehab, Eliane Simonini contou sobre o trabalho, que deve ser ampliado. "Nós pretendemos continuar essa ação até o final do ano fazendo as entregas e possibilitando que as pessoas tenham tanto a sua escritura, como também o benefício do aluguel social", explicou. A dona de casa Gislaine Monteiro foi uma das beneficiadas. Ela, que paga R$ 800 de aluguel, ficou contente com o auxílio de R$ 350. "Achei muito bom, vai  me ajudar bastante", comemorou. 

A Defensoria Pública de Goiás também esteve presente no Mutirão Governo de Goiás, com atendimento jurídico integral aos moradores da região Leste de Goiânia. A defesora pública, Cristiane Teixeira, coordenou os serviços e contou que 180 pessoas foram assistidas. "Tudo isso é um atendimento gratuito, um direito do cidadão, que se enquadra dentro dos moldes de vulnerabilidade. Seja uma vulnerabilidade econômica ou seja por outros motivos, como, por exemplo, uma mulher em situação de violência doméstica", detalhou. Os serviços oferecidos foram assistência em demandas na área de família (divórcio, pensão alimentícia, entre outros), reconhecimento de paternidade (biológica ou socioafetiva, inclusive pós-morte), retificação de registro civil e orientação jurídica.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.