Médico aponta riscos do uso indiscriminado de medicamentos para tratar Covid-19

Consequências podem ser lesões no fígado, principalmente em pessoas que apresentam problemas como obesidade e diabetes ou que ingerem bebidas alcoólicas

Todo medicamento sem indicação precisa e tomado de forma inadequada tem potencial para causar mais danos às pessoas ao invés de promover a cura. A observação é do médico hepatologista Rafael Ximenes, reforçando que o fígado é o órgão que sofre mais diretamente as consequências. Em entrevista ao TBC2 na segunda-feira, 15, o especialista enfatizou que muitas pessoas, ansiosas por tratar a Covid-19, acabam tomando doses excessivas de medicamentos, até sem acompanhamento médico, fazendo combinações de drogas que nem sempre resolvem o problema e acabam por causar outros males ao organismo.

Rafael Ximenes citou especificamente o caso da Ivermectina, usada no tratamento das verminoses. Conforme disse, é um medicamento bom, usado na dose certa para eliminar parasitas, mas não para tratar vírus. “No imaginário de muitas pessoas, a Ivermectina previne e cura a Covid, mas os estudos apontaram o contrário. Se tomada em dosagens altas e por períodos continuados, ela pode causar danos ao fígado em boa parte das pessoas”, explicou. Da mesma forma, o excesso de vitaminas e até remédios naturais podem afetar o fígado quando ingeridos de forma descontrolada.

Vacinação

Indagado sobre se quem já é portador de doenças como cirrose e gordura no fígado, podem tomar a vacina contra a Covid-19, Rafael Ximenes disse que podem e devem, com exceção de pessoas que tiveram o órgão transplantado. Neste caso é aconselhável esperar pelo menos 90 dias após o procedimento para se vacinarem. O médico observou também que pacientes que já são portadores de males no fígado têm maior possibilidade de complicações hepáticas quando são contaminadas com a Covid.

O profissional deu dicas de sintomas que sinalizam o agravamento das doenças hepáticas. “De início, os sintomas são inespecíficos e imperceptíveis. Em casos mais graves, surge o que chamamos de icterícia, ou seja, branco do olho amarelado e pele também”, explicou Ximenes, acrescentando que em muitos casos podem ocorrer também leve enjoo, dor no estômago e desconforto no abdômen. Segundo ele, neste caso, o primeiro passo é retirar os medicamentos que podem estar ocasionando o problema e, se não houver resultado, fazer o tratamento adequado.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.