Lei Aldir Blanc vai garantir mais R$ 50 milhões para projetos culturais goianos

Secretário interino de Cultura, César Moura informou que serão elaborados editais para 21 áreas, para que os artistas goianos desenvolvam seus projetos

O secretário interino de Cultura de Goiás, César Moura, disse hoje, 26, em entrevista ao Jornal Brasil Central, que Goiás tem disponibilizados R$ 50 milhões para serem investidos em projetos culturais da Lei Aldir Blanc nesse período emergencial da pandemia da Covid-19. Informou que espera apenas a sanção presidencial para lançar os editais, num total de 21, que deverão abranger praticamente todas as áreas das artes e da cultura, garantindo recursos aos artistas goianos no desenvolvimento dos seus projetos e trabalhos.

Segundo ele, Goiás teve só 9% de utilização dos recursos da Lei Aldir Blanc no período da lei que venceu em dezembro do ano passado. “Agora a gente tem R$ 50 milhões para uma ajuda emergencial à cultura no Estado. Estimamos que nos municípios tenha mais R$ 30 milhões para apoiar. Goiânia ainda tem R$ 4 milhões e outros municípios têm ainda recursos na conta. Ano passado foram feitos dois editais e agora estamos fazendo 21 editais para várias atividades culturais. A gente quer contemplar o máximo possível pegando históricos de outros estados, como Rio Grande do Sul, que gastou 99% do recurso, para poder fazer o melhor possível”, assinalou.

Os recursos dessa nova fase da Lei Aldir Blanc, informou ainda, têm de ser gasto no Estado de Goiás de forma rápida até o final do ano. “Os editais estão prontos para serem encaminhados para a Procuradoria Geral do Estado (PGE), mas depende da sanção do presidente Bolsonaro, que a gente espera que aconteça esta semana, para no dia seguinte a gente soltar os editais e poder atender à cultura”, explicou, lembrando que está em andamento o edital do Fundo de Arte e Cultura, para palcos permanentes e festivais, que é outro fundo que pode ser usado pelos artistas, porque neles exige-se a contratação de um artista para poder funcionar.

Artistas goianos

Sobre a necessidade de ajudar os artistas goianos que pararam de trabalhar por causa da pandemia, ele disse também que na Lei Aldir Blanc tem editais de festivais e de cultura regional que precisam contratar os músicos goianos. “A gente tem um específico para esse cantor que está no barzinho, que está com dificuldade de tocar agora. Temos 10 a 15 artistas no Brasil que sobrevivem de lives, mas o restante não sobrevive.

Com esse recurso a ser liberado pelos editais da Lei Aldir Blanc, de acordo com césar Moura, o músico poderá fazer uma live sem muito custo “e vamos disponibilizar para ele de R$ 10 mil a R$ 20 mil”. Afirmou que o edital não pedirá para ele fazer um CD ou um DVD. “A gente entende a realidade do momento, sabendo que essas pessoas precisam comer. A gente cumpre a legislação, pedindo a ele que faça a entrega de um vídeo. Queremos por comida na mesa dos músicos goianos”, assegurou.

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.