Ipasgo espera autorizar igual número de cirurgias bariátricas do ano passado

Presidente do Instituto, Hélio Lopes, falou no TBC que auditorias das bariátricas foram retomadas no dia 19 de agosto último e já foi possível zerar os pedidos que estavam represados

A apresentadora Danuza Azevedo e presidente do Ipasgo, Hélio José Lopes, nos estúdios da TBC

As auditorias do Ipasgo para a realização de cirurgias bariátricas foram retomadas no dia 19 de agosto último. No período de 40 dias foi possível zerar a fila de 433 pedidos, que estavam represados desde março. A expectativa é voltar, em breve, a atender novas solicitações, e até o final do ano, atender a mais outras 300. Dessa forma, mesmo com a pandemia, se espera fechar 2020 com número praticamente igual ao verificado em 2019, quando foram realizadas 860 cirurgias desse tipo.

A afirmação é do presidente do Ipasgo, Hélio José Lopes, que esteve no estúdio do TBC 2 nesta quinta-feira, 1º de setembro. Na oportunidade, ele conversou sobre este e outros assuntos com os apresentadores Danuza Azevedo e Guilherme Rigonato. Conforme Hélio, em janeiro e fevereiro últimos as cirurgias bariátricas foram realizadas dentro da normalidade. Mas a partir de 21 de março elas foram suspensas, em razão dos decretos estadual e municipal que tratam da pandemia da Covid-19.

Cirurgia eletiva

Somente a partir de 19 de agosto as perícias bariátricas no Ipasgo voltaram a ser realizadas. Ele explicou que a suspensão temporária foi adotada porque esta é uma cirurgia eletiva, sobre a qual a equipe médica pode determinar a data a ser realizada. Assim, o Instituto foi postergando até a retomada. Informou que, em março último, devido à pandemia, o Instituto reservou, para os pacientes acometidos da Covid, 434 leitos na rede hospitalar privada do Estado e 50 no Hospital do Garavelo, entre enfermarias e UTIs.

Entretanto, havia uma demanda de 433 cirurgias bariátricas. Mas o risco desses pacientes bariátricos precisarem de internação e não ter essa cobertura levou à suspensão temporária, explicou. Hélio Lopes completou que, após a retomada em agosto, o trabalho da equipe de auditores do Instituto foi “hercúlea, o pessoal se dedicou bastante.” Dessa forma, foi possível autorizar 151 cirurgias bariátricas em 20 dias; e, com 40 dias, os 433 pedidos foram atendidos.

Pendências

“É óbvio que a partir de agosto/setembro novas (solicitações) surgiram, tem novos pedidos. A gente, dentro em breve aí, vai começar de novo, para até o final do ano conseguir realizar todas as outras que ficaram pendentes”, afirmou. Com isso, e obedecendo aos mesmos parâmetros, disse acreditar que será possível ter mais “300 e poucas” (cirurgias bariátricas) até o final de 2020.

Respondendo à pergunta de um telespectador sobre como seriam os critérios do atendimento da fila de pedidos de auditoria bariátrica, o presidente do Ipasgo explicou que as perícias estão sendo realizadas de forma cronológica, mês a mês. Quem está com esse pedido de bariátrica agora, o Instituto vai começar a analisar agosto/setembro/outubro e adiante, “para que até o final do ano eles consigam, não só realizar a perícia médica, bem como o procedimento médico.”

Confira a entrevista na íntegra:

ABC Digital

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.